Atendimentos à pessoa com Transtorno do Humor


Rio de Janeiro/RJ – GABrio – 
Grupo Afetivo Bipolar Rio

Esse grupo é dedicado a portadores, pais, familiares e amigos, profissionais das áreas de saúde e a todos que se interessarem em saber mais sobre o Transtorno de Humor Bipolar.

www.evelynvinocur.com.br    Mais informações: (21) 2576- 5198

• Brasília/DF – APTA – Núcleo de Mútua Ajuda a Pessoas com Transtornos Afetivos – Local: Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília.

As reuniões ocorrerão semanalmente, todos os sábados, das 15 às 16 horas (podendo se estender até as 16h30), na sala AC 104 da faculdade de medicina da UnB.
Mais Informações: ligar em horário comercial para (61)33072522.

E-mail: apta.apta@gmail.com     Blog: http://apta-df.blogspot.com.br/

Porto Alegre/RS – PROGRAMA DE TRANSTORNO BIPOLAR –LABORATÓRIO DE PSIQUIATRIA MOLECULAR / HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

Rua Ramiro Barcelos, 2350 – Prédio Anexo  – Porto Alegre – RS.

Fone (51)-3359 8845 – Fax: (51)-3359 8846

Porto Alegre/ RS –Associação STABILITAS – 

A associação realiza palestras mensais informativas e gratuitas que reúnem profissionais qualificados, portadores do Transtorno Bipolar do Humor e interessados nesta patologia.

Tel:  (51) 9182-5419 ou email stabilitas@bol.com.br

Fortaleza / Ceará

ADM  – Associação em Defesa da Saúde Mental Tels: (85) 3231 3203  (85) 3366 8149

GETA – Grupo de Estudos em Transtornos Afetivos do Hospital Universitário Prof. Walter Cantidio

Porto Alegre/RS
AGAFAPE  Assoc. Gaúcha de Familiares  e Pacientes com Esquizofrenia e demais doenças mentais )
Santa Maria/RS
AFAB – ASSOC. de Familiares, Amigos e Bipolares de Santa Maria 
Médica responsável; Dra Martha Noal – especializada em transtorno bipolar.

SITES NACIONAIS

GRUDA – Grupo de Estudos de Doenças Afetivas –  http://www.progruda.com/

PRODAF – Programa de Distúrbios Afetivos e Ansiosos  – www.unifesp.br

STABILITAS – Associação dos Usuários de Estabilizadores de Humor, Familiares e Amigos –   www.stabilitas.kit.net

TEMPERAMENTO FORTE E BIPOLARIDADE – www.bipolaridade.com.br

Associação Brasileira de Transtorno Bipolar – http://www.abtb.org.br/

 SITES INTERNACIONAIS

ISBD – The International Society for Bipolar Disorders –  www. isbd.org

DBSA  – Depression and Bipolar Support Alliance  www.dbsalliance.org

iFRED – The International Foundation for Research  and Education on Depression  www.depression.org  e www.ifred.org

NAMI – The National Alliance for Mentally III  –  www.nami.org

MADISON INSTITUTE OF MEDICINE (Lithium Information Center) www.miminc.org

CABF – Child and Adolescent Bipolar Foundation www.cabf.org e www.bpkids.org

JBRF – Juvenile Bipolar Research Foundation  –  www.jbrf.org

« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Campanha “Pode Contar”

A campanha "Pode Contar", é uma iniciativa do Laboratório Sanofi-Medley, com o apoio da ABRATA, que visa ajudar, com empatia, pessoas que lhe sejam próximas e colaborando para o enfrentamento da depressão. É também um canal de ajuda para quem apresenta depressão, fornecendo informações sobre os sintomas, causas, como lidar, e acima de tudo: como fazer para pedir ajuda e não se "sentir sozinho".

Campanha “Depressão Bipolar, está na hora de falar sobre isso”

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

2018-02-02T17:45:22+00:00 8 de novembro de 2012|Categorias: ABRATA, Blog|49 Comentários

49 Comentários

  1. silvia 25 de janeiro de 2013 às 15:23 - Responder

    Eu tenho em minha família pessoas com problemas mentais. Eu não entendo muito em como lidar com isso, as vezes me trazem sérios aborrecimentos, como não sei lidar com com o problema procuro me isolar no meu quarto. De família que percebo o problema: mãe, pai, tia e um irmão, mas meu irmão nasceu sadio, o problema que adquiriu foi pós parto foi tirado com fórceps, apertaram a cabecinha dele ao nascer. E hoje é obrigado a fazer exames de 6 em 6 meses, incluindo radiografias da cabeça. Eu fico triste em ter que conviver dentro de minha casa com pessoas tão próximas a mim com esse problema.

    • Equipe Abrata 29 de janeiro de 2013 às 16:06 - Responder

      Prezada Silvia
      Boa tarde!

      Realmente não é fácil conviver numa família na qual vários membros são portadores de transtornos mentais. Você não especifica quais são os diagnósticos, talvez nem saiba, mas sabe que até existem estudos sobre a comunicação em famílias de portadores de transtornos mentais? Sabe, é comum haver um tipo de comunicação chamada de ‘alta emoção expressa’, na qual as pessoas são muito críticas, agressivas, ou superprojetoras, falam ao mesmo tempo e não se escutam direito – e consequentemente não se compreendem. O clima familiar, nestes casos, é muito estressante e as pesquisas mostram que esse tipo de ambiente está associado a um maior índice de recorrência dos episódios de esquizofrenia e transtorno bipolar.
      Não sabemos se sua família é assim, mas, de qualquer forma, você precisa de ajuda e, com certeza, o isolamento não é a melhor maneira de se conseguir sair dessa situação. Todo esse estresse pode estar abalando também a sua saúde mental e é conveniente você procurar ajuda de um psiquiatra para avaliar o seu quadro e a sua situação familiar. Pode ser o caso de encaminhar sua família para um atendimento familiar, mas isso deve ser visto com cuidado, junto com alguém experiente e capaz.
      Assim, como recomendamos a várias pessoas, sugerimos também que você venha até a ABRATA e participe das nossas atividades – conversar em grupo vai lhe dar a oportunidade de conhecer outras pessoas que ou já passaram ou estão passando por situações semelhantes à sua e que vão ajuda-la a pensar no melhor encaminhamento para sua situação.
      Grande abraço,
      Equipe da ABRATA

  2. kamila 4 de outubro de 2013 às 17:32 - Responder

    Boa tarde! Gostaria de saber se tem algum tipo de reunioes e encontros para os bipolares trocarem ideias ,conversarem … pois,eu tenho uma pessoa na familia bipolar e acho que cela vive muito só !
    (somos de niterói-rj)
    obrigada,

    • Equipe Abrata 8 de outubro de 2013 às 18:46 - Responder

      Prezados
      Obrigada pelo contato com a ABRATA!

      Infelizmente, ainda não identificamos nenhum grupo de apoio em sua cidade.
      Na cidade do Rio de Janeiro indicamos o GABrio – Grupo Afetivo Bipolar Rio. Esse grupo é dedicado a portadores, pais, familiares e amigos, profissionais das áreas de saúde e a todos que se interessarem em saber mais sobre o Transtorno de Humor Bipolar.
      Por favor, entre em contato por meio do telefone: (21) 2576- 5198. http://www.evelynvinocur.com.br
      Brevemente a ABRATA irá criar um núcleo regional no RJ. Estamos nos preparando para esta ação.
      Abs
      Equipe ABRATA

  3. edinalva maria da silva henrique 27 de outubro de 2013 às 15:25 - Responder

    Gostaria de conhecer mais esse programa do transtorno biopolar,e que temos que sofre muito com esse transtorno,queria muito ajuda e queria mais informaoa se esse tratamento e pago ja que meu irmao se encontra desempregado,gostaria muito de sua resposta obrigado bjs

    • Equipe Abrata 1 de novembro de 2013 às 16:53 - Responder

      Prezada Edinalva
      Obrigado pelo contato!
      Acesse o site da ABRATA http://www.abrata.org.br, e você terá acesso aos folhetos informativos sobre o TB, os quais poderá imprimir, assim como, vários artigos.

      Converse com o médico do seu irmão sobre como inclui-lo no programa do Governo/SUS – Medicação de Alto Custo.
      O psiquiatra precisa preencher um formulário específico, fazer um relatório e você deverá levar apara o SUS. Geralmente, estes locais são identificados como Farmácia de Medicação de Alto Custo. Vc vai precisar localizar o endereço em sua cidade.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  4. luciene marques de lucena 14 de novembro de 2013 às 10:35 - Responder

    Bom dia, gostaria de saber se na minha cidade tem grupo de ajuda sobre bipolaridade, a cidade é Campo Grande MS ,preciso muito de ajuda, obrigada.

    • Equipe Abrata 14 de novembro de 2013 às 16:36 - Responder

      Olá Lucilene

      Lamentamos, mas ainda não temos conhecimento de uma associação de apoio ao portador de bipolaridade em sua cidade.
      Obrigada pelo contato.
      Abraços

  5. marilene viegas 25 de novembro de 2013 às 23:38 - Responder

    Moro em Poa tenho filha 16 anos thb gostaria saber como fazer para que ela seja tratada Abrata Poa. Ela esta sendo medicada mas não vejo melhora. Ela esta se automutilando com cortes pelos braços. Por favor me responda. Obrigada.

    • Equipe Abrata 27 de novembro de 2013 às 16:14 - Responder

      Prezada Marilene

      A ABRATA não oferece atendimento médico ou psicológico. Nossas atividades consistem nos grupos de ajuda mútua e encontros psicoedcucaionais com o objetivos de levar informação e educação sobre o transtorno do humor aos portadores e seus familiares.
      Visite o site da ABRATA e leia os folhetos para baixar no seu computador, que tratam sobre a doença. http://www.abrata.org.br/new/folder.aspx

      Também lhe sugerimos para pesquisar no site da Associação Brasileira de Psiquiatria a relação dos médicos e verificar quais são os médicos da sua cidades. http://www.abp.org.br/portal/associado/lista-de-socios
      Ressaltamos que no entanto, antes de mudar de médico, é importante conversar com o profissional que realiza o atendimento da sua filha e principalmente colocá-lo a par do estado atual da adolescente e solicitar mais orientações.
      Muitas situações deste tipo se contornam com diálogo e esclarecimentos acerca do que está ocorrendo.
      Cordialmente
      Equipe ABRATA

  6. Renata Ramos 28 de novembro de 2013 às 12:21 - Responder

    Gostaria de saber se a Abrata atende em Pelotas ou Rio Grande (RS),grata!!!

    • Equipe Abrata 28 de novembro de 2013 às 19:18 - Responder

      Olá Renata

      A ABRATA não tem núcleo em cidades do RS. Porém, em Porto Alegre tem uma associação que lhe indicamos.
      Faça um contato, quem sabe eles tem mais informações.
      AGAFAPE – Assoc. Gaúcha de Familiares e Pacientes com Esquizofrenia e demais doenças mentais
      Site : http://www.agafape.org.br Contato : agafape@agafape.org.br
      Tem também em SANTA MARIA – AFAB ( ASSOC. de Familiares, amigos e Bipolares de Sta Maria
      (Médica responsável – Dra Martha Noal – especializada em transtorno bipolar.
      site: http://www.husm.ufsm.br/afab contato: afabsm@gmail.com
      Abs
      Equipe ABRATA

  7. Isadora Freire 18 de junho de 2014 às 21:57 - Responder

    Boa noite,
    vocês tem filial ou conhecem algum grupo de apoio familiar em Maceió-AL?
    Grata desde já.

    Abraços,

    • Equipe Abrata 27 de junho de 2014 às 11:31 - Responder

      Isadora

      A ABRATA não tem núcleo em Maceió. Lamentamos.
      Também não identificamos outro grupo na cidade. Mas que tal, vc pesquisar na faculdade de medicina/ psiquiatria. Muitas faculdades de saúde oferecem esse tipo de suporte.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  8. LUZIA CAPELLA 24 de junho de 2014 às 17:19 - Responder

    Boa tarde, gostaria de saber se na minha cidade, Rio de Janeiro, tem algum grupo que nos atenda ? grata.

    • Equipe Abrata 24 de junho de 2014 às 17:58 - Responder

      Luiza

      No RJ, entre em contato com o GABrio – Grupo Afetivo Bipolar Rio – Local: Rio de Janeiro.
      Esse grupo é dedicado a portadores, pais, familiares e amigos, profissionais das áreas de saúde e a todos que se interessarem em saber mais sobre o Transtorno de Humor Bipolar.
      Mais informações: (21) 2576- 5198
      Av 28 de Setembro, 389 – Sétimo Andar – Auditório. Ed. Vila Trade Center –
      Vila Isabel – RJ
      Abs
      Equipe ABRATA

  9. jane 10 de agosto de 2014 às 23:14 - Responder

    Olá!!
    vocês tem alguma filial aki no Rio de Janeiro???

    • Equipe Abrata 13 de agosto de 2014 às 22:25 - Responder

      Olá Jane

      Não temos filial no RJ. Porém indicamos o grupo GABrio – Grupo Afetivo Bipolar Rio – Local: Rio de Janeiro.
      Esse grupo é dedicado a portadores, pais, familiares e amigos, profissionais das áreas de saúde e a todos que se interessarem em saber mais sobre o Transtorno de Humor Bipolar.
      Mais informações: (21) 2576- 5198
      Av 28 de Setembro, 389 – Sétimo Andar – Auditório. Ed. Vila Trade Center –
      Vila Isabel – RJ
      Abraços
      Equipe ABRATA

  10. Vanessa 23 de setembro de 2014 às 17:31 - Responder

    Boa tarde. Há uns anos que venho passando situações de conflito comigo mesma e desconfiando que sou bipolar, mas nunca procurei médico pois sou de baixa renda. Mãe de 4 filhos e com uma mãe acamada portadora de ELA(Esclerose lateral amiotrófica), de quem “cuido” com a ajuda de meu filho mais velho de só 12 anos. Na verdade está tudo com ele, pois, de um tempo pra cá nem perto dela consigo chegar, estou mais agressiva que o “normal”, nada me satisfaz, tudo me irrita. Minha vida, que já era um inferno por causa de minha oscilação de humor, se transformou no verdadeiro purgatório vezes 1000! E o que mais me magoa é que minha mãe e meu marido dizem ser palhaçada. Vou de zero a cem em segundo, como uma ferrari e acabo por fazer besteiras. Quebro tudo, bato em quem for, já quase fui presa pq mandei um polícial civil tomar naquele lugar, que só não me prendeu pq ele já não aguenta mais minha cara na delegacia por brigas que me meti. Não aguento mais, quero morrer mas não quero morrer, isso me martiriza. Me ajudem me indicando algum local onde eu possa ter um atendimento gratuito aqui no Rio, por favor, não aguento mais conviver comigo mesma mudando de humor como eu mudo. Obrigada.

    • Equipe Abrata 24 de setembro de 2014 às 13:03 - Responder

      Prezada Vanessa

      Sinta-se acolhida pela ABRATA. Vc está precisando da ajuda de um profissional da área médica para buscar um diagnóstico sobre os sintomas que vc está sentindo. Mas somente um psiquiatra poderá lhe dizer se estes sintomas que vc relata, são decorrentes de um Transtorno Bipolar. As doenças psiquiátricas apresentam sintomas parecidos. Sugerimos que vc procure o CAPS – Centro de Atenção Psicossocial. Próximo a sua residência, no seu bairro ou bairro próximo deve ter um. São nestes CAPS que são realizados os atendimentos com o psiquiatra.

      Também sugerimos que vc procure um grupo de apoio para pessoa com TB em sua cidade. Segue o endereço e entre em contato. Quem sabe eles possam também lhe informar de outros locais que oferecem consultas gratuitas.

      GABrio – Grupo Afetivo Bipolar Rio – Local: Rio de Janeiro.
      Esse grupo é dedicado a portadores, pais, familiares e amigos, profissionais das áreas de saúde e a todos que se interessarem em saber mais sobre o Transtorno de Humor Bipolar.
      Mais informações: (21) 2576- 5198
      Av 28 de Setembro, 389 – Sétimo Andar – Auditório. Ed. Vila Trade Center –
      Vila Isabel – RJ

      Abraços
      Equipe ABRATA

  11. Vanessa 24 de setembro de 2014 às 19:23 - Responder

    Vou procurar sim! Com toda a certeza! Obrigada pela ajuda e pelos esclarecimentos. Abraços.

  12. RONALDO BRASIL DE ABREU 7 de janeiro de 2015 às 14:14 - Responder

    Boa tarde meu nome é Ronaldo eu e a minha família já não aguentar mais vê minha filha de 23 anos não conseguindo superar transtorno bipolar peço ajudar por favor em nome de Jesus

    • Equipe Abrata 9 de janeiro de 2015 às 20:19 - Responder

      Caro Ronaldo

      O tratamento do transtorno bipolar não é tão simples como gostaríamos que fosse, infelizmente. Necessita de muita dedicação, seguir regras e rotinas no dia a dia, além de tomar a medicação, todos os dias, de acordo com as orientações médicas. A medicação só começa fazer efeito depois de três a quatro semanas e muitas vezes necessita de ajustes, isto é mudança de dose, de remédio, até acertar de forma a trazer resultados. Algumas vezes a medicação provoca efeitos colaterais em que o portador, algumas vezes prefere larga a medicação do que enfrentar, voltar a conversar com o médico e explicar como está se sentindo. Essa é uma doneça que ainda não tem cura, ela pode ser controlada se a pessoa obedecer as regras, desde tomar os medicamentos, dormir bem, cerca de 08 horas por dia, se alimentar no horário, entre mais cuidados. Lidar com a doença e a pessoa que tem a doença, requer muita paciência, tolerância e ainda incentivar para tomar a medicação.
      Se vc reside em SP, aproveitamos a oportunidade e lhe convidamos para participar do Grupo de Apoio Mútuo aos familiares e portadores. Traga a sua filha também. São grupos separados. Eles acontecem na terça, quinta e sábado. Tem um gripo para os familiares e outro para o portador da doença. Faça a sua inscrição, primeiro para o Grupo de Acolhimento pelo telefone (11) 3256-4831 de 2ª a 6ª feira das, 13h30 às17h, a partir do dia 12 de janeiro.
      No site vc também poderá baixar o livro em PDF – Manual para cuidadores de pessoas com transtorno bipolar. Além de informações sobre a doença e traz muitas dicas sobre como lidar com o portador em diversas situações. Link: http://www.abrata.org.br/new/folder.aspx
      Abraços
      Equipe ABRATA

  13. Adriana de Andrade Briano 18 de agosto de 2015 às 21:56 - Responder

    Meu nome é Adriana, tenho 21 anos, tive depressão aos 12 anos quando meus pais se separaram e tive
    recaída aos 19, quando meu pai faleceu. Foram momentos dolorosos para mim e difícil de entender.
    Tenho notado mudanças no meu comportamento. Há algum tempo, as vezes estou estressada, irritada, triste
    Bastante deprimida e outras vezes de bem com a vida e com todos sorrindo, cantando,
    Brincando feito criança. Há uma oscilação. Constante em intervalo de tempo curto.
    Pela manhã to alegre e ativa. A tarde estou deprimida e pensativa.
    Gostaria de saber se o indivíduo com depressão pode desenvolver transtorno bipolar?
    Como identificar e qual profissional deve se procurar?

    • Equipe Abrata 7 de setembro de 2015 às 21:15 - Responder

      Olá Adriana

      Como vc relata que teve depressão na fase da adolescência e relata ainda recaídas, será muito importante vc procurar consultar-se com um psiquiatra. Vc é muito jovem, e quanto mais cedo buscar esclarecer o que acontece com vc, mais bem estar em sua vida terá! Se possível, procure por um psiquiatra especialista em transtorno bipolar e depressão em crianças e adolescentes. O psiquiatra é o profissional que poderá dizer se os sintomas que vc relata, são ou não sintomas característicos de uma depressão ou de um transtorno bipolar.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  14. angelo marcio da silva 23 de setembro de 2015 às 23:09 - Responder

    Olá,
    Meu filho de 16 anos, apresenta sintomas de depressão desde 14 anos, se tranca no quarto, não quer comer, não fala, quando tem momentos que esta bem em seguida recai pior, já levamos ele a tres psicologos, e uma psiquiatra , ele é muito resistente ao tratamento. tava tomando três remedios, mas tambem nao quer e para piorar se corta, já não sei o que fazer com ele. Esta com o braço e a perna toda cortada, será que vocês podem me ajudar?

    • Equipe Abrata 25 de setembro de 2015 às 22:31 - Responder

      Prezado Ângelo
      Agradecemos o seu contato com a ABRATA.
      Realmente a situação relatada é preocupante e ainda considerando o seu relato, que já foram tomadas providencias (psicólogo e psiquiatra).
      Primeiro ressaltamos que é difícil tratar os adolescentes, eles são muito retraídos para falarem dos seus problemas, sempre acham que tem razão e não aderem ao tratamento com facilidade. Mas, o importante será continuar tentando, conversando, deixando uma porta aberta para que ocorra a comunicação entre os familiares.
      Segundo será essencial os pais observarem com atenção quando ele se corta, em que parte do corpo, se sozinho ou com amigos e se esta acompanhando algum site que ensina esta prática. Saiba que existem muitos sites assim e os pais não sabem. Observe também se há situações especificas para ele se cortar. Estes detalhes fazem diferenças e será importante comunicar ao psiquiatra.
      Em terceiro lugar sugerimos que se o seu filho não vai ao psicólogo, será importante, vcs os pais procurarem por uma terapia familiar para aprender a lidar com a situação, compreender o que está acontecendo com o jovem e também receberem orientação de como lidar com a situação sendo que as vezes poderão perceberem que nem sempre tem razão a todo momento, quando trata-se de adolescentes, mas sempre mostrarem-se interessados e preocupados. Algo complexo, mas as vezes necessário para estabelecer uma comunicação com o filho. Muitas vezes os jovens se cortam para chamar a atenção dos pais.
      A medicação no caso de depressão poderá ser muito importante.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  15. Naty 4 de dezembro de 2015 às 20:31 - Responder

    Boa noite, meu filho tem diagnostico de transtorno bipolar há 5 anos, teve uma melhora 9 meses, mas teve uma recaída e precisa urgente ser internado em uma clinica. Moro no interior de São Paulo,e não encontro nenhuma clinica para pessoas com transtorno, poderia me indicar?

    • Equipe Abrata 5 de dezembro de 2015 às 15:30 - Responder

      Prezada Naty!
      Como você menciona que seu filho foi diagnosticado há 5 anos, entendemos que esteja tendo acompanhamento médico,, portanto sugerimos que este profissional possa te passar alguma informação, já que possivelmente vem acompanhando o caso.
      Estamos à sua disposição!
      Abraços!
      Equipe ABRATA!

  16. Angelica S. Carvalho 25 de dezembro de 2015 às 18:47 - Responder

    Minha filha tem 31 anos.
    Na fase mania, rouba lojas, farmácias e padarias. É correto comentar com ela sobre os roubos? Ela jura que não roubou (mas eu vi) e entra em crise de violência contra si mesma. Se bate, arranha-se e puxa os cabelios. Está tomando ácido valproico, lorazeoan, haloperidol e clorpramazina.

    • Equipe Abrata 25 de dezembro de 2015 às 19:25 - Responder

      Prezada Angélica!
      Entendemos que sua filha está sob tratamento, já que está tomando medicação, portanto sugerimos que informe ao profissional que acompanha o caso, tudo o que está acontecendo com ela para que o mesmo possa fazer uma avaliação, e se achar necessário fazer ajustes no tratamento.
      Aproveitamos a oportunidade e a convidamos para participar dos Grupos de Apoio Mútuo, caso resida em SP. Nesta atividade, as pessoas compartilham suas experiências, e aprendem a encontrar novas soluções à partir do contato com quem tem problemas semelhantes.
      Se quiser participar é necessário agendamento, pelo telefone (11) 3256-4831, de segunda à sexta-feira, das 13:30 às 17:00 horas.
      Você será muito bem vinda!
      Abraços!
      Equipe ABRATA!

  17. Marcia de Oliveira Cunha 18 de abril de 2016 às 21:52 - Responder

    Boa Noite!Sou uma mãe desesperada com uma família toda adoentada por conta da bipolaridade do meu filho de 24 anos.
    Estou cansada de percorrer consultórios de profissionais q não tem o menor comprometimento com a minha causa.
    Sei q isso soa um pouco antipático mas só quem vive com alguém com esse transtorno sabe avaliar o quanto a vida se torna difícil.
    Preciso muito de uma indicação profissional aqui no Rio de Janeiro.
    Me sinto só e desesperançosa .Por favor me ajudem!

    • Equipe Abrata 18 de abril de 2016 às 22:13 - Responder

      Prezada Márcia

      No RJ indicamos o GABrio – Grupo Afetivo Bipolar Rio e a Dra Evelyn Vinocur.
      Esse grupo é dedicado apessoas com transtorno bipolar e depressão, pais, familiares e amigos, profissionais das áreas de saúde e a todos que se interessarem em saber mais sobre o Transtorno de Humor Bipolar.
      Contate a Dra Evelyn Vinocur, especialista em bipolaridade. Sinta-se a vontade para dizer que foi indicada pela ABRATA.
      (21) 2576- 5198

      Abraços
      Equipe ABRATA

      • Marcia de Oliveira Cunha 18 de abril de 2016 às 22:29 - Responder

        Muito obrigada pela resposta tão rapida.
        Espero poder encontrar la o apoio q minha família precisa.
        Em breve darei um feed back .
        Mais uma vez,obrigada!

        • Equipe Abrata 18 de abril de 2016 às 22:39 - Responder

          Márcia
          Conte com a ABRATA.
          Abraços
          Equipe ABRATA

  18. Alline Bortolini 23 de abril de 2016 às 11:35 - Responder

    Descobri ser portadora de THB há pouco mais de um ano. Desde então ,venho lutando para voltar a ter uma vida normal.
    Desenvolvi primeiramente uma profunda depressão. Fui a uma psiquiatra ,que me receitou sertralina,que não fez nem cócegas. Minha mãe que é usuária de fluoxetina há mais de 15 anos, me convenceu a trocá-la pela tal. Fui internada no Hospital Espírita de Poa com virada maníaca. Lá fui diagnosticada.
    Após uma estadia de 16 dias, meu tratamento foi baseado em carbonato de lítio. Fiquei estabilizada por um tempo,mas logo os dias de depressão voltaram,intercalados de leve euforia e irritação.
    Já perdi 2 empregos por falta de agilidade e raciocínio rápido e memória curta, estou desesperada. Já tive 4 crises,2 profundas e 2 leves de depressão,seguidas de pensamentos suicidas, que não foram executados por falta de coragem. Meu médico olhou meu exame de litemia e disse que está um pouco alterado, e que poderia aguardar a consulta daqui 1 mês.
    Minha familia e marido não medem esforços para me fazer melhorar,sem êxito. Minha vida está sem perspectiva alguma,me sinto impotente e perdida.
    Escrevi isso para desabafar e também para fazer umas perguntas… Faz parte da doença estar lenta? É normal, mesmo usando litio sentir tanto os sintomas da doença? O que faço?
    Desculpe se tiver sido incoerente. Aguardo algum contato. Pretendo começar a frequentar as palestras.

    Agradeço desde já.

    • Equipe Abrata 20 de maio de 2016 às 20:58 - Responder

      Prezada Aline

      Desculpas, pedimos nós pela demora em lhe responder.
      O primeiro passo será vc conversar com o seu psiquiatra sobre os sintomas que está sentindo, a lentificação e os sintomas das doença, sejam eles depressivos ou de mania. Algumas medicações provocam efeitos colaterais, que com o tempo tendem a desaparecer ou diminuírem. Quem sabe será necessário um ajuste na medicação. Mas isso somente o psiquiatra poderá fazer. Ao iniciar a tomada da medicação psiquiátrica é necessário estar atenta aos efeitos colaterais, pq cada pessoa apresentam um reação. Não tem um padrão igual para todos, assim como a dosagem. Infelizmente após as crises a pessoa poderá presentar o raciocínio mais lento, memória curta como vc cita. Não desanime, cuide-se sempre. E caso as ideias suicidas voltem a surgir, ligue no 141, do Centro de Valorização/CVV da Vida ou acesse pelo site. http://www.cvv.org.br/
      Quando for ao médico, questione, pegunte sempre, é o seu direito receber informações e esclarecimentos.
      Venha participar das atividades da ABRATA. Aproveitamos a oportunidade e lhe convidamos para participar do Grupo de Apoio Mútuo para portadores e traga seus familiares apra participar do grupo para familiares. São grupos separados. Eles acontecem na terça, quinta e sábado. Faça a sua inscrição, primeiro para o Grupo de Acolhimento pelo telefone (11) 3256-4831 de 2ª a 6ª feira das 13h30 às17h.
      Vc encontrará pessoas que vivem situações parecidas e saberá como eles fazem para melhorar o seu dia a dia.
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

  19. Bruna Ferreira 3 de julho de 2016 às 13:54 - Responder

    Olá, me chamo Bruna e em torno de 7 anos adotei uma criança que hj com 11 anos foi diagnosticado com transtorno de conduta e transtorno obsessor desafiador.
    Ele faz tratamento, toma remédio controlado assim como eu pra que consiga lidar com essa situação.
    Na realidade as vezes penso em desistir de tudo, pois é muito difícil correr em busca de algo que não tem cura e que não se tem um controle.
    Me sinto frustada e refém em minha própria casa.
    Gostaria de saber se existem grupos que possa trocar experiências, ter informações reais sobre esse problema.
    Faço os tratamentos e não vejo melhora alguma .
    Não posso ter animais em casa, não posso ter outro filho, tenho que esconder tudo que ele possa usar contra mim.
    Estou desesperada e perdendo as forças
    Gostaria de qualquer tipo de ajuda.
    Desde já agradeço.
    Bruna

    • Equipe Abrata 22 de julho de 2016 às 20:40 - Responder

      Olá Bruna

      Agradecemos o seu contato conosco.
      O transtorno desafiador de oposição (TDO) é um transtorno disruptivo, caracterizado por um padrão global de desobediência, desafio e comportamento hostil. Os jovens que apresentam este distúrbio discutem excessivamente com adultos, não aceitam responsabilidade por sua má conduta, incomodam deliberadamente os demais, possuem dificuldade em aceitar regras e perdem facilmente o controle se as coisas não seguem a forma que eles desejam.
      O transtorno de conduta é definido por violações mais graves como roubo, agressão e crueldade com animais e pessoas. Embora o TDO esteja fortemente relacionado ao TC do ponto de vista longitudinal, nem todas as crianças evolui dessa forma. O TDO é também altamente encontrado conjuntamente como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Assim, é muito importante que seja feita uma boa avaliação por um psiquiatra infantil para o diagnóstico correto.
      O tratamento, em geral, inclui um treinamento parental (ensinar os pais a lidar com o comportamento do filho), terapia Comportamental Cognitiva para criança e orientação para a escola
      Abraços
      Equipe ABRATA

  20. Marilu 13 de outubro de 2016 às 13:14 - Responder

    Perdi o crédito neste serviço ou grupo de apoio ou melhor de não apoio. Mandei mensagem, liguei, pedi com urgência. Ninguém me deu retorno. ou é um site de marketing? Para ajudar ninguém, bem para dar um retorno na hora e necessita. Se tivesse nota, daria zero, pelo descaso

    • Equipe Abrata 21 de janeiro de 2017 às 18:07 - Responder

      Olá Marilu
      Lamentamos muito não ter lhe ajudado ou dado um apoio quando precisou.
      Ficamos um período sem responder as mensagens pq ficamos sem voluntários para esta atividade. A ABRATA atua 100% com voluntários. Mas, estamos de volta e disponíveis.
      O atendimento telefônico não ocorreu nenhuma paralisação, exceto agora, no recesso do final de ano. Veja o horário de funcionamento. Telefone (11) 3256-4831 de 2ª a 6ª feira das, 13h30 às 17h, de segunda a sexta-feira.
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

  21. Kamylla Carina 18 de dezembro de 2016 às 15:33 - Responder

    Meu pai entrou em crise dia 10/12 … Ele não está lúcido, teve um episódio de depressão no início do ano (fevereiro/2016) que foi tratado com paroxetina e desde dezembro que ele apresenta sintomas de euforia. Hoje foi diagnosticado com transtorno bipolar, não possui lucidez, tem mania de perseguição, está agressivo e não aceita bem o tratamento com comprimidos. Nossa família está angustiada. O que fazemos ? é melhor tentar rever a medicação com o psiquiatra ou partir pra internação ? Caso optarmos por tentar a medicação ou até mesmo sonoterapia com injetáveis, pois ele pede desesperadamente que não o interne, corremos riscos de prejudicar de maneira irreversível sua saúde mental ? Em geral quantos dias os pacientes de transtorno bipolar ficam internados ? Queríamos um tratamento que deixe ele sem sequelas pra que possa ter sua vida, moramos em uma cidade de interior e constantemente ele se expõe dizendo que sua família quer matá-lo por tomar remédios. Peço que me auxiliem por favor.

    • Equipe Abrata 4 de fevereiro de 2017 às 18:14 - Responder

      Olá Kamylla.
      Sugerimos que você converse com o médico que acompanha o seu pai a fim de verificar se é possível a mudança de medicamentos antes de
      qualquer outra alternativa que poderá ser traumática.
      Há no mercado inúmeros remédios para o transtorno bipolar. Há os injetáveis também.
      Leia esta postagem:

      Anvisa aprova medicamento de ação prolongada para transtorno bipolar.

      Veículo: Agência Estado
      Seção: Saúde
      Data: 21/07/09
      Estado: Nacional

      Quem sofre de transtorno bipolar – doença psiquiátrica crônica caracterizada por bruscas mudanças de humor – ganhou mais um medicamento na luta contra a doença, segundo Eliana Benedictis, gerente de grupo médico da Janssen-Cilag, fabricante do remédio. Trata-se do Risperdal Consta (risperidona), o primeiro antipsicótico atípico injetável no tratamento do transtorno bipolar. A fabricante divulgou ontem que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso do medicamento para tratar quem sofre desse mal.

      De acordo com ela, o novo medicamento trará pelo menos duas grandes vantagens: primeiro, a medicação é aplicada apenas duas vezes por mês – e não diariamente, como no uso oral; segundo, há uma diminuição dos efeitos colaterais. O transtorno bipolar ainda não tem cura, mas, segundo Eliana, com medicação adequada, o paciente pode ter uma vida normal.
      Um abraço.
      Equipe ABRATA.

  22. Carla 8 de julho de 2017 às 17:24 - Responder

    Não tenho direito de ser louca. So quero ficar trancada, sozinha, as pessoas abrem a porta do meu quarto mas não sabem fechar. Fica aquele barulho, a luz, aquelas gargalhadas irritantes. Queria ir pra uma ilha deserta, no momento as pessoas são importantes, mas no momento elas muito me irritam.

    • Equipe Abrata 14 de julho de 2017 às 07:03 - Responder

      Prezada Carla

      É importante que procure um psiquiatra.
      De posse de um diagnóstico adequado, você poderá levar uma vida normal.

      Um abraço
      Equipe ABRATA

  23. Gilmara Dias 7 de abril de 2019 às 09:39 - Responder

    Bom dia
    Minha filha tem 15 anos e foi a primeira vez que a vi em um estado diferente do normal.
    A levamos ao psiquiatra que nos disse que ela está com transtorno bipolar.
    Ela não teve nada tão forte e por isso ele passou litium e à noite com Zap.
    Está melhor, mas gostaria muito de aprender mais sobre isso com pessoas que entendem.
    Ela nunca teve isso. Por esse motivo estou meio perdida. E só tem 15 anos.

    Sou do Rio de Janeiro.

    • blogabrata 8 de abril de 2019 às 18:19 - Responder

      Gilmara, obrigada pelo contato
      O transtorno bipolar comumente se inicia no final da adolescência e início da vida adulta.
      Caracteriza-se por períodos de depressão ou irritabilidade intensa e período de euforia.
      Na adolescência, muitos sintomas se sobrepõem às características próprias desta faixa etária.
      A medicação é essa mesma
      Abs
      Equipe ABRATA

  24. Luiz Volpato 5 de julho de 2019 às 07:20 - Responder

    Abrata divulgar nos formulários de contato funciona?

    Matéria completa:
    https://www.tecnoticias.com.br?noticia=JLb9tMJ8

    • blogabrata 7 de julho de 2019 às 09:38 - Responder

      Prezado Luiz Volpato

      Os interessados em informações sobre os Transtornos Afetivos podem entrar em contato com a
      ABRATA por meio de suas mídias sociais, ou seja, pelo contato@abrata.org.br, pelo Facebook e
      pelo Blog.
      As respostas são personalizadas.
      Abraços
      EQUIPE ABRATA

Deixe o seu comentário