ABRATA – 14 anos de ação voluntária em prol da pessoa com Transtorno do Humor

Esperanca2

Em 29 de novembro de 1999 nasceu o sonho de criar-se uma associação, sem fins lucrativos, voltada à necessidade de atender pessoas portadoras de transtornos do humor: a depressão e a bipolaridade.

Hoje, ao completar 14 anos de existência e de atividades continuadas de ação totalmente voluntária, muito nos orgulhamos dos resultados alcançados em prol da pessoa com transtorno do humor.

Os objetivos da nossa causa continuam cada dia mais fortalecidos e reforçam a crença da força do voluntariado. São eles:

  • Educar os portadores, familiares, profissionais de saúde mental e a sociedade como um todo, sobre a natureza e tratamento dos transtornos do humor, buscando sempre reduzir o estigma e a discriminação da doença perante a coletividade.
  • Promover o amparo, proteção e estímulo aos pacientes e seus familiares.
  • Conscientizar os pacientes, familiares e a sociedade dos direitos dos portadores de transtornos afetivos.
  • Promover e realizar pesquisas na área.
  • Manter intercâmbio com associações nacionais e estrangeiras que tenham o mesmo objetivo social.
  • Angariar fundos para realização dos propósitos da Associação.
« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Campanha “Pode Contar”

A campanha "Pode Contar", é uma iniciativa do Laboratório Sanofi-Medley, com o apoio da ABRATA, que visa ajudar, com empatia, pessoas que lhe sejam próximas e colaborando para o enfrentamento da depressão. É também um canal de ajuda para quem apresenta depressão, fornecendo informações sobre os sintomas, causas, como lidar, e acima de tudo: como fazer para pedir ajuda e não se "sentir sozinho".

Campanha “Depressão Bipolar, está na hora de falar sobre isso”

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

2018-02-02T17:41:40+00:00 27 de novembro de 2013|Categorias: ABRATA, Blog|Tags: , |4 Comentários

4 Comentários

  1. Adalgisa Noêmia Dias Souza Silva 9 de janeiro de 2014 às 03:20 - Responder

    Tenho transtorno bipolar, e achei interessante o trabalho de vcs, por isso estou entrando em contato. Pois a familia são os primeiros a atrapalhar o meu tratamento.

    • Equipe Abrata 9 de janeiro de 2014 às 18:25 - Responder

      Olá Adalgisa
      Obrigada pelo contato com a ABRATA.

      Você não entrou em detalhes de como a sua família atrapalha o seu tratamento, então, vamos buscar informar o funcionamento de uma família com membro portador do transtorno bipolar.

      Em algumas famílias que apresentam um membro portador do transtorno bipolar do humor, podem expressar sentimentos negativos entre si, isso é o que se chama na Psicoterapia Familiar como “família disfuncional”, fato este que induz o membro portador a apresentar episódios/crises, expressos através da irritabilidade, desânino, afastamento de contato com os outros, desesperança, etc. Assim sendo, a família precisa ser orientada, isto é buscar um apoio. A família precisa entender que é a bipolaridade é uma doença e como ela se manifesta em vc. Quando tratada, poderá lhe trazer qualidade de vida e a todos os membros da sua família.

      Adalgisa é essencial que a família conheça mais sobre as manisfestações do transtorno bipolar. Sugerimos a vc e à sua família a leitura do livro “Guia para cuidadores de pessoas com transtorno bipolar.” Ele apresenta muitas dicas para lidar com a doença e com portador, tanto para a família como para o prórpio portador. Também apresenta um capítulo com informações sobre a transtorno bipolar. Vc poderá baixá-lo do site da ABRATA.
      http://www.abrata.org.br/new/folder.aspx

      Conte conosco!
      Equipe ABRATA

  2. rosineide 29 de abril de 2014 às 20:57 - Responder

    Boa noite
    tenho transtorno bipolar, diagnosticado ha mais de 10 anos
    por favor estou no limite pois so penso em suicidio
    tomo carbolitiun, mas ultimamente estou totalmente sem rumo
    sem familia, sem minha filha, sem trabalho
    por favor quero ser voluntária
    eu trabalho, faço o que for preciso
    só quero tratamento
    tenho a passagem
    aguardo resposta

    • Equipe Abrata 29 de abril de 2014 às 22:10 - Responder

      Rosineide

      Para iniciar queremos expressar e compartilhar com vc o sentimento de apoio aos seus sentimentos e ao quanto vc deve estar sofrendo com todas essas dificuldades. É essencial vc se cuidar, buscar o apoio médico, talvez para rever a sua medicação, conversar com seu médico sobre o impluso do suicídio que está aparecendo, e claro buscar apoio de algum dos seus familiares, de um ente querido, uma amiga em que vc confia. Evite ficar sozinha quando estes pensamentos surgirem, procure a companhia de uma pessoa de confiança. Não fique sozinha! Da mesma forma que esses pensamentos vem, eles podem ir embora e vc continuar com os seus projetos de vida, junto às pessoas que ama, apesar da ausência de algumas pessoas amadas por vc, neste momento de vida.

      Rosineide quando se sentir sozinha, ou desejar conversar com alguém, ligue para o Centro de Valorização da Vida, onde você pode conversar com um voluntário do Programa de Apoio Emocional do CVV ligando 141. Fale dos seus sentimentos, das dificuldades que está sentindo. Compartilhar, mesmo por telefone, com uma pessoa que lhe acolherá, trará uma sensação saudável de vida e bem querer.

      Quanto ao trabalho de voluntariado na ABRATA, não temos atividade a distância e momento nem mesmo na nossa sede. Procure, em sua cidade, uma atividade voluntária. Acreditamos que no Amapá exista diversas associações que poderá contar com o seu valioso apoio e trabalho. Veja o que trabalho que mais lhe atrai: fazer trabalho voluntário para crianças, idosos, jovens, mães, meninos de rua, entre outros. Pesquise, que encontrará um local em sua cidade para doar sua ação voluntária e escolha a que mais lhe atrai.

      A ABRATA não oferece tratamento e nem fornece medicação.

      Sucesso em sua caminhada e nos cuidados com você mesma.
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

Deixe o seu comentário