Doações

Doações 2018-11-01T20:06:23+00:00

A sua doação vai ajudar a levar educação e informação para mais de 10 milhões de brasileiros que sofrem de transtorno bipolar ou depressão crônica, além de seus familiares e amigos.

Por favor, considere fazer uma doação, ainda hoje, em solidariedade a pessoa com depressão e transtorno bipolar!

Cerca de 80% do apoio que a ABRATA recebe vem de pessoas como você!

Agradecemos imensamente a sua doação!

Como Doar?

1) Doações em dinheiro podem ser feitas diretamente na conta da ABRATA:

ABRATA – Associação Brasileira de Familiares Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos
CNPJ : 036190240001-11

Banco Itaú (341) Banco do Brasil (001)
Agência: 1664-0
Conta Corrente: 10400-5
Agência: 1898-8
Conta Corrente: 15853-4

Após efetuar o depósito, por favor solicitamos o envio de um e-mail comunicando o depósito para: financeiro@abrata.org.br

2) Doe qualquer valor (via Paypal):

3) Doe mensalmente (via Paypal):

Escolha um valor para doar mensalmente

4) Doe só desta vez (PayPal ou PagSeguro):

PAYPAL

Escolha o valor da sua doação

PAGSEGURO

Destaques

Livros – Depressão Bipolar um Guia Abrangente

Os autores abordam a neurobiologia e a genética, a depressão bipolar em crianças e considerações relativas a suicídio, discutindo abordagens de tratamento específicas, desde o uso do lítio e de drogas anticonvulsivantes até intervenções psicológicas, com base nas pesquisas mais atuais sobre o assunto.

Campanha Daiichi

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.