PORTADORES DE TRANSTORNO DO HUMOR E SEUS FAMILIARES PRECISAM ESTAR CIENTES DE QUE:

RECOMENDAÇÕES

Transtorno do hunor_thumb

* Seguir o tratamento à risca é a melhor forma de prevenir a instabilidade emocional e a recorrência das crises, o que assegura a possibilidade de levar vida praticamente normal;

* Os remédios podem não fazer o efeito desejado logo nas primeiras doses que, muitas vezes, precisam ser ajustadas ao longo do tratamento;

* Crises depressivas prolongadas sem tratamento adequado podem aumentar em 15% o risco de suicídio nos pacientes bipolares;

* O paciente pode procurar alívio para os sintomas no álcool e em outras drogas, solução que só ajuda a agravar o quadro;

* Alternar a fase de depressão com a de mania pode dar a falsa sensação de que a pessoa está curada e não precisa mais de tratamento;

* A família pode precisar também de acompanhamento psicoterápico, por duas diferentes razões: primeira, porque o distúrbio pode afetar todos que convivem diretamente com o paciente; segunda, porque precisa ser orientada sobre como lidar no dia a dia com os portadores do transtorno.

Fonte: http://drauziovarella.com.br/letras/t/transtorno-bipolar-2/

« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Campanha Daiichi

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

Livros – Depressão Bipolar um Guia Abrangente

Os autores abordam a neurobiologia e a genética, a depressão bipolar em crianças e considerações relativas a suicídio, discutindo abordagens de tratamento específicas, desde o uso do lítio e de drogas anticonvulsivantes até intervenções psicológicas, com base nas pesquisas mais atuais sobre o assunto.

2018-02-02T17:16:16+00:00 26 de setembro de 2013|Categorias: Blog, Família|Tags: , , , |14 Comentários

14 Comentários

  1. Verinha 27 de setembro de 2013 às 16:08 - Responder

    só gostaria de receber msg e participar deste site, pois tenho meu filho com transtorno bipolar e preciso de ajuda

    • Equipe Abrata 3 de outubro de 2013 às 10:46 - Responder

      Verinha
      Bom dia! Bem vinda ao Blog e obrigada pelo contato.

      A ABRATA oferece atividades que vc poderá participar e naturalmente ampliar o conhecimento acerca do transtorno bipolar e apoiar ao seu filho.
      Aproveitamos a oportunidade e lhe convidamos para participar de Grupos de Apoio Mútuo(GAM). Oferecemos dois tipos de GAMs. Um grupo para os familiares e outro para os portadores. O Transtorno bipolar é uma doença desafiante, e ter alguém de confiança com quem falar, ou entrar para um grupo de apoio que trata do assunto, pode tornar o dia a dia mais fácil. Tenha em mente que diferentes pessoas podem ajudar de formas diferentes e que pode ser útil criar uma rede de apoio também entre os seus familiares.

      Faça contato conosco pelo tele fone (11)3256-4698, das 13h30 as 17h e agende a sua participação, inicialmente, no Grupo de Acolhimento e depois no GAM.

      A ABRATA oferece diversas atividades: GAM, Encontros Psicoeducacionais, que são palestras proferidas por especialista da área. Além deste blog, se você frequentar nossos grupos, caso resida em São Paulo, você vai aprender com quem vive essa doença e aprendeu a lidar com ela nas situações mais difíceis.

      No site, vc também poderá baixar os folhetos que falam sobre a bipolaridade, como também o livro “Guia para cuidadores de pessoas com transtorno do humor”. É um livro muito bom, tem muitas dicas de como lidar com a doença e como cuidar da pessoa com bipolaridade.

      Abraços fraternos e conte sempre com a ABRATA.
      Equipe ABRATA

  2. RODRIGO ANTONIO TEIXEIRA ROCHA 22 de novembro de 2013 às 17:50 - Responder

    EU PRECISO DE AJUDA PARA LIDAR COM MINHA MULHER QUE E BIPOLAR .

    • Equipe Abrata 25 de novembro de 2013 às 15:53 - Responder

      Rodrigo
      Acesse no site da ABRATA e veja os artigos, os folhetos para baixar e assista também os vídeos postados que tratam da bipolaridade. Assim vc terá acesso a mais informações acerca da doença. Inclusive vc poderá baixar o livro “Guia para os cuidadores de pessoas com transtorno do humor”, que lhe dará várias dicas para cuidar e apoiar a sua esposa.
      http://www.abrata.org.br
      Abraços
      Equipe ABRATA

  3. RODRIGO ANTONIO TEIXEIRA ROCHA 22 de novembro de 2013 às 17:53 - Responder

    EXISTE GRUPOS DE APOIO EM BELO HORIZONTE.

    • Equipe Abrata 25 de novembro de 2013 às 15:50 - Responder

      Olá Rodrigo

      Encontramos em BH uma associação. Seguem os dados.

      ENCONTROS PARA BIPOLARES EM BH QUE SÃO PROMOVIDOS PELA UFMG
      – Grupo de auto-ajuda a familiares e portadores de transtornos bipolar.
      Encontros nas 2ª feiras, das 19h às 21:30, na Faculdade de Medicina – Av. Alfredo Balena, 190 – sala 3052 – 3º andar.
      Informações: email: riquebh@terra.com.br
      Abraços
      Equipe ABRATA

  4. Fabiana Cândida Alvim Carreira 17 de janeiro de 2014 às 15:53 - Responder

    Oi.
    Sou portadora de transtorno mental (transtorno afetivo bipolar) mais ou menos há dez anos e tenho sofrido muito com os ajustes dos remédios e com a participação da minha família . Espero encontrar algum apoio aqui.
    Obrigada,
    Fabiana.

    • Equipe Abrata 17 de janeiro de 2014 às 16:37 - Responder

      Prezada Fabiana

      Obrigada por compartilhar os seus sentimentos com a ABRATA.

      Em relação ao ajuste de medicação ressaltamos que é essencial que vc mencione ao médico todos os efeitos colaterais que sente, e também caso esteja utilizando outras medicações, prescritas por outros médicos, também mencionar para o seu psiquiatra que assim poderá escolher a dosagem e medicação adequada. As medicações para o Transtorno do Humor não seguem uma prescrição igual para todos os usuários. São prescritas de acordo com os sintomas de cada paciente. É importante saber, que, na maioria das vezes, é possível dimimuir ou interromper os efeitos colaterais com a diminuição da dose do medicamento ou coma troca da medicação por outros que seja mais tolerado.

      Apesar das dificuldades famíliares, saiba que a principal gestora da sua doença é vc! Gerir a doença e fazer as coisas que gosta, que aprecia e que são importantes ajudará muito a vc ter uma qualidade de vida, mesmo sofrendo da doença.

      Fabiana participar de grupos de apoio também é importante para vc se fortalecer e ter a oportunidade de compartilhar com outras pessoas, também portadoras do TH, acerca dos seus sentimentos e emoções. A ABRATA oferece esta oportunidade, por meio do Grupo de Apoio Mútuo para o portador e familiares. Esse apoio, suporte ao portador e familiares, associado ao tratamento medicamentoso é um fator essencial para a melhoria da qualidade de vida, da aceitação e gestão da doença na busca de uma vida produtiva. Caso resida em SP, lhe convidamos para participar e traga a sua família.
      Conte sempre conosco! Abraços afetuosos.
      Equipe ABRATA

  5. Lindalva Mello 3 de julho de 2014 às 05:09 - Responder

    Boa noite, tenho duas netas gêmeas,com sete anos sendo que uma delas vem apresentando sintomas e crises de bipolaridade, do nada ela começa a gritar para…para para sai daqui, a irmã sofre muito porque as crises são sempre voltadas para ela( coitadinha) porque uma tosse ou um fungar de nariz, um barulhinho com a boca deixa a irmã em crise violenta, ela fica possessa e grita muito tipo: para…sai daqui,
    a primeira crise foi horrível, ninguém conseguia chegar perto ela parecia estar vendo monstros e de olhos arregalados e aos gritos chegou a agredir a mãe que foi socorre-la. Minha filha chora muito e está num processo depressivo pois não sabe o que fazer para ajuda-la já que recorreu a vários médicos , até tratamento espiritual está fazendo com ela. Enfim nós que convivemos com nossa pequenina estamos sofrendo demais com tudo isso, já que nãoconseguimos um meio de ajuda-la, Ela é uma menina linda e muito inteligente estão as duas no segundo ano e ela só tira 10 em todas as matérias. Está tratando com uma psicóloga já faz
    um tempo. Temos que estar bem para ajuda-la mas durante as crises dela a gente desaba vendo o sofrimento, últimamente as crises tem durado cerca de meia hora,depois disso ela volta ao normal brinca com a irmã ,parece que esquece da crise, mas continua sem poder ouvir certos ruídos como sons de boca , talheres batendo no prato e dai por diante.
    Ficaria imensamente agradecida se conseguisse um médico especialista no assunto já que parece que ela também sofre de Misofonia enfim,a situação está muito complicada.
    É em prantos que peço ajuda de um profissional pois a família está desestruturada
    e sofrendo muito. Nós moramos em Araruama.
    SOS por favor.
    Despeço-me na esperança de uma resposta positiva para acabar com o sofrimento
    da minha netinha que se chama Manuela, não aguentamos vê-la tão novinha e enfrentando um problema tão sério, Oriente-nos por favor.
    Aguardo resposta o mais rápido possível via email.

    Desde já agradeço e aguardo ansiosa.
    Abraços
    Lindalva( vovó da Manuela) e da Isabela .

    • Equipe Abrata 7 de julho de 2014 às 15:18 - Responder

      Prezada Lindalva

      Solidarizamos com a sua história e aos seus cuidados com as netas e sua família.

      Conforme o seu relato, sugerimos a vc levar a sua neta para consultar com um psiquiatra infantil. Além do acompanhamento de um psicólogo é essencial e importante vcs levá-la para consultar com psiquiatra especialista em crianças o mais breve possível. Esse profissional especializado, poderá dialogar com a família e principalmente observar e conversar com a criança, para levantar as possibilidades de um diagnóstico, assim como e principalmente, orientar a família nas condutas de tratamentos e cuidados diários.

      Se caso em sua cidade não tiver um psiquiatra infantil, na cidade de SP, vc encontrará médicos psiquiatrsa especialistas em criança. Lamentamos mas, nãp podemos indicar um profissional. Também sugerimos que entre em contato com o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de SP. Neste Instituto vc encontrará psiquiatra infantil. Tente agendar uma consulta, veja o procedimento por meio do link: http://www.ipqhc.org.br/pag_detalhe.php?categ=Hospital&id=267

      Outra opção são os Centro de Atenção Psicossocial/ CAPS. Procure por um desse centro em sua cidade, e se caso não tiver procure numa cidade próxima. No site da ABRATA tem uma listagem com os endereços. Veja em CAPs-endereços. Link: http://www.abrata.org.br/new/folder.aspx

      Lindalva lhe desejamos sucesso e muita força nos cuidados das netas e de toda a sua família.

      Grande abraço
      Equipe ABRATA

  6. Isabel de Carvalho Serpa 27 de junho de 2015 às 21:27 - Responder

    Tenho uma irmã muito depressiva e que tem lentidão mental. Gostaria de saber se existe grupo de apoio a familiares em BH.

    • Equipe Abrata 7 de julho de 2015 às 22:05 - Responder

      Isabel

      Lamentamos, mas não conhecemos grupos em BH. Que tal entrar em contato com um CAPs da sua região e ver se eles conhecem algum grupo de apoio na cidade.
      Localizamos estas duas entidades. Mas, não as conhecemos e será importante vc avaliar se são boas e se realizam atividades de qualidade e confiáveis.
      •Associação Família
      Endereço: Rua Rio de Janeiro, 909/1003 – Belo Horizonte – MG – CEP 30160-041
      Telefone: (31) 3272-2593/3272-2557
      Objetivos e forma de atuação: Trabalhar junto a famílias de risco social, enfocando principalmente o indivíduo com problema mental, restabelecendo os laços sociais; atuam junto à prefeitura de Belo Horizonte.
      Assuman – Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Minas Gerais
      E-mail: vilarejo@hotmail.com
      Fone: (31) 8833-1777
      Contato: Ângela Olivia Pereira de Loreto

      Isabel ressaltamos que a ABRATA não se responsabiliza pelas atividades oferecidas pelas associações indicadas. A ABRATA não possuí nenhum vínculo com as associações indicadas, e nesta hipótese é de apenas viabilizar o acesso e conhecimento da existência de associações em sua cidade. A ABRATA tem um caráter voluntário e de benevolência.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  7. Rosangela 26 de outubro de 2015 às 10:37 - Responder

    Bom dia. Preciso de um contato emBH de grupo de apoio para familiares de pacientes com TBH.o telefone da UFMG parece q mudou. Aguardo, obrigada JG it

    • Equipe Abrata 26 de outubro de 2015 às 23:21 - Responder

      Cara Rosângela!
      Infelizmente não sabemos se há grupos de apoio em BH. Sugerimos os CAPS, que são Centros de Apoio Psicossociais, e que na maioria das vezes oferecem tratamentos, atividades,e informações,em várias regiões.
      No nosso site, você também encontra vários artigos sobre transtornos do humor, link: http://www.abrata.org.br.
      Estamos à sua disposição!
      Abraços!
      Equipe ABRATA!

Deixe o seu comentário