PACIENTES COM DEPRESSÃO SOFREM PARA PROVAR AS DOENÇAS

Por Leopoldo Rosa | Jornalista CBN

Muitos encontram dificuldades para convencer amigos e familiares de que as mudanças de humor e a falta de vontade de viver fazem parte dos males psiquiátricos.

Ele tem 20 anos. Ela 30. Ambos com histórias pautadas pela busca. Por compreensão, por tratamento, por um silêncio dentro de si mesmo que eles imaginaram que nunca iam encontrar. O sergipano Mateus Hernandez conta que os primeiros sinais da depressão surgiram ainda na infância e ele só procurou tratamento depois de criar coragem de contar o que sentia para uma prima. Já essa mulher do Rio de Janeiro, que não quis se identificar, começou a frequentar médicos quando criança, e ao longo da vida, teve uma infinidade de tratamentos e diagnósticos.

cbn1 No caso dessa carioca, a depressão vem acompanhada de transtorno bipolar. A junção das duas doenças é bastante comum: todo mundo que tem bipolaridade tem também depressão.

Problemas para dormir, tristeza sem motivo e sentimento de inutilidade são alguns dos sintomas mais comuns de depressão. O psiquiatra e professor da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, Marcelo Feijó de Melo, diz que os sinais começam sutis e variam conforme o paciente.

Em quem sofre de bipolaridade, esses sintomas se somam às crises de euforia, mania de grandeza, comportamento impulsivo e agressivo. Em casos mais graves, o transtorno bipolar também é a causa de ideias suicidas. O tratamento do transtorno pode envolver psicoterapia e medicamentos. No caso da depressão, há pessoas que conseguem viver sem remédios e se tratam por meio de terapias. A reportagem da CBN foi conhecer um desses métodos.

cbn

No final da sessão, quando cada participante dá suas impressões a respeito das cenas, uma coisa fica clara: o apoio é uma das principais chaves para a recuperação.

 

 

 

Leia mais: http://cbn.globoradio.globo.com/series/juventude-no-diva/2015/06/09/PACIENTES-COM-DEPRESSAO-E-TRANSTORNO-BIPOLAR-SOFREM-PARA-PROVAR-AS-DOENCAS.htm#ixzz3ctB6KbQs

« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Campanha “Pode Contar”

A campanha "Pode Contar", é uma iniciativa do Laboratório Sanofi-Medley, com o apoio da ABRATA, que visa ajudar, com empatia, pessoas que lhe sejam próximas e colaborando para o enfrentamento da depressão. É também um canal de ajuda para quem apresenta depressão, fornecendo informações sobre os sintomas, causas, como lidar, e acima de tudo: como fazer para pedir ajuda e não se "sentir sozinho".

Campanha “Depressão Bipolar, está na hora de falar sobre isso”

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

2018-02-02T17:14:04+00:00 12 de junho de 2015|Categorias: Blog, Depressão, Sem categoria|Tags: , |10 Comentários

10 Comentários

  1. joana 12 de junho de 2015 às 23:46 - Responder

    Não tenho ninguém para falar.o que acontece comigo?

    • Equipe Abrata 28 de junho de 2015 às 20:23 - Responder

      Prezada Joana

      Gostaríamos de neste momento ter uma “bola de cristal” para trazer uma resposta certa prá vc! Mas, infelizmente, isso não é possível! A nossa vida é pautada de momentos felizes, alegres, de momentos solitários, de momentos tristes…. Mas, todos este momentos também nos ajudam a ficar mais forte e enfrentar a vida, apesar dos momentos solitários e sozinhos. Vc já pensou em procurar o apoio de um psiquiatra, ou mesmo de um psicólogo para lhe ajudar neste momento. Reflita sobre isso.
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

    • Equipe Abrata 28 de junho de 2015 às 20:24 - Responder

      Prezada Joana

      Gostaríamos de neste momento ter uma “bola de cristal” para trazer uma resposta certa prá vc! Mas, infelizmente, isso não é possível! A nossa vida é pautada de momentos felizes, alegres, de momentos solitários, de momentos tristes…. Mas, todos este momentos também nos ajudar a ficar mais forte e enfrentar a vida, apesar dos momentos solitários e sozinhos. Vc já pensou em procurar o apoio de um psiquiatra, ou mesmo de um psicólogo para lhe ajudar neste momento. Reflita sobre isso.
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

  2. Andrea 22 de junho de 2015 às 21:30 - Responder

    Meu marido é bipolar..fazem 8 anos q estamos casados..eu o ajudei a descobrir a bipolaridade..lendo artigos na internet..e comparando a sua personalidade..agitação.. Fases de euforia fazer tudo ao mesmo tempo.. Gastos excessivos..depressão..isolamento.. Nervosismo.. Sempre perde o controle.. Fica desempregado..e a pior parte ninguém entende..familia critica ..se afasta..acha q não é tudo isso.. Poucos amigos.. Eu procuro aprender o maximo..e o apoio..mas me sinto muito cobrada pelas pessoas que não entendem o problema e não querem entender… Como devo agir para ajuda-lo e me ajudar com minha saúde..sinto tristeza.. Cansaço..mas não desistirei …e familias ..apoiem pois não é facil lidar com isso…principalmente quem tem o problema..existe muito preconceito…

    • Equipe Abrata 7 de julho de 2015 às 21:17 - Responder

      Olá Andrea

      Você foi e está sendo muito importante no apoio ao seu marido e contribuindo para ele mantenha qualidade de vida. Infelizmente, apesar que o conhecimento acerca dos transtorno mentais fazem parte da vida da maioria das pessoas, muitas estigma e preconceitos ainda estão presentes. Mas além de oferecer o apoio incondicional a ele, você também necessita ter um olhar para a sua vida, prá sua saúde e para a sua qualidade de vida. Os cuidados com vc mesma são essenciais para o seu bem estar e a manutenção da sua força física e emocional.
      Sugerimos para você a leitura do livro online em PDF (baixar do site ABRATA) – Manual para cuidadores de pessoas com transtorno bipolar. Além de informações sobre a doença e traz muitas dicas sobre como lidar com o portador em diversas situações e principalmente como cuidar de você e manter a sua saúde. Link: http://www.abrata.org.br/new/folder.aspx
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

    • Desbravador do Alto 29 de julho de 2015 às 03:39 - Responder

      Parabéns pelo seu depoimento e pelo seu incentivo as famílias a cuidarem de seus familiares com TBH. Cuide-se, não esqueça de você mas continue sempre lutando pelo seu casamento. Fiquem com Deus!

  3. Ines 20 de julho de 2015 às 19:24 - Responder

    Olá,
    minha irmã começou com uma depressão em junho do ano passado. Se afastou do trabalho, fazia terapia e medicamentos. Em outubro começou a se cortar e foi indicada a internação em um hospital dia. Em abril deste ano a situação se agravou e foi feito o internamento integral. Ela está internada desde então. Nesta nova instituição foi diagnosticada como bipolar. Gostaria de saber se é comum este tempo todo de internação nos casos de bipolaridade. Obrigada

    • Equipe Abrata 23 de julho de 2015 às 14:32 - Responder

      Prezada Ines
      O período de duração de uma internação psiquiátrica varia de paciente para paciente. São avaliados a intensidade dos sintomas da doença, a resposta que o paciente dá às medicações (essas medicações levam cerca de 03 a 04 semanas para começar dar resposta ao tratamento), se a pessoa está colocando a sua vida ou de terceiros em risco entre outros fatores clínicos. Porém, sugerimos que converse com o psiquiatra da clínica responsável pela sua irmã e esclareça sobre quais são os motivos da sua irmã permanecer internada. Não existe um padrão comum para internações psiquiátricas. A conduta atual tem sido de procurar manter o paciente o mais breve possível internado numa clínica. Porém a avaliação clínica do estado psíquico do paciente é que determinará os prazos.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  4. M.A.Cavalcanti 25 de julho de 2015 às 11:29 - Responder

    Existe aqui em Curitiba/pr algum grupo de apoio exclusivamente para bipolares?

    • Equipe Abrata 29 de julho de 2015 às 14:13 - Responder

      Olá M.A.Cavalcanti

      Não identificamos em sua cidade um grupo de apoio para bipolares. Mas sugerimos que entre em contato com os CAPs da sua cidade e veja se eles tem indicações.
      Também localizamos uma associação de apoio a pessoas com panico e sugerimos entrar em contato e verificar se eles conhecem algum grupo na sua cidade.
      – Curitiba
      Grupo de apoio aos portadores de Transtorno do Pânico
      Coordenadora: Solange
      End.: Rua Conselheiro Araújo, 366 – Sala de Reuniões
      Próximo ao Hospital das Clínicas – Alto das XV
      Informações: (41) 9925-5527 – Email: solange_arb@hotmail.com

      Ressaltamos que a ABRATA não se responsabiliza pelas atividades oferecidas pelas associações indicadas. A ABRATA não possuí nenhum vínculo com as associações indicadas, e nesta hipótese a nossa contribuição é de apenas viabilizar o acesso e conhecimento da existência de associações em sua cidade. A ABRATA tem um caráter voluntário e de benevolência.
      Abraços
      Equipe ABRATA

Deixe o seu comentário