NOTA DE ESCLARECIMENTO ABRATA: Novela “A Regra do Jogo” – abordagem e informação incorretas sobre o que é o transtorno bipolar

As questões levantadas pelos leitores, voluntários e frequentadores da ABRATA em relação ao personagem da novela “A Regra do Jogo” – Nelita – (atriz Barbara Paz)  são muito apropriadas, pois a novela veicula uma informação incorreta sobre o que é transtorno bipolar e, como foi ressaltado nos capítulos iniciais, confunde transtorno de múltiplas personalidades (ou transtorno dissociativo de identidade) com transtorno bipolar com sintomas psicóticos e mostra o personagem em questão com comportamentos que não se identificam com os sintomas dos Transtornos de Humor.

O que existe de “duplo” no transtorno bipolar não é uma divisão da personalidade, e sim o fato de que a pessoa com transtorno bipolar apresenta ao longo da vida episódios de mania ou hipomania e episódios de depressão. Pode até haver uma alternância rápida entre esses episódios, mas não se trata de manifestações de diferentes personalidades e sim de oscilações de humor, de energia, de velocidade do pensamento, de comportamento motor, entre outros, mas tudo se manifestando dentro da mesma personalidade. Pode inclusive haver sintomas psicóticos, como alucinações e delírios, muito frequentemente em combinação com o estado de humor (sintomas grandiosos na mania e de ruína na depressão), mas, ainda assim, sem alteração da personalidade.

Aproveitamos a oportunidade e citamos uma nota da Associação Brasileira de Psiquiatria/ABP, da qual a ABRATA é parceira que diz: “Importante salientar que o personagem da novela não tem nenhuma relação com a realidade de nenhuma patologia psiquiátrica. O quadro apresentado não tem nenhuma relação com o Transtorno de Humor Bipolar. ”

Mensagens recebidas via o Canal Fale Conosco da ABRATA:

MENSAGEM: “Boa noite, sou portadora de TAB e estou preocupada com a repercussão da novela “A Regra do Jogo”, a descrição do TAB é equivocada e nociva, pois a aceitação do transtorno já é muito difícil, mas sendo retratado desse modo, fica ainda pior. A personagem é descrita como alguém que possui “duas personalidades” e interpretada como uma esquizofrênica, apenas isso. Nós, portadores, já sofremos muitos preconceitos e sendo retratados desse modo, fica ainda pior. ” R.A. Salvador/BA

MENSAGEM: “Olá, sobre a nova novela da Rede Globo que tem um personagem que foi apresentada como bipolar com traços psicóticos e DUPLA PERSONALIDADE, gostaria de esclarecimentos sobre se é possível haver comorbidade de bipolaridade com essa doença MÚLTIPLA PERSONALIDADE. Em havendo esta possibilidade, gostaria de deixar registrada a minha opinião de que apresentar a bipolaridade desta maneira vai aumentar a confusão em torno da bipo, correndo o risco de sermos ainda mais discriminados. Gostaria de saber ainda se a ABRATA pode se posicionar perante a Rede Globo sobre esta novela e a maneira como o assunto está sendo abordado. Desde já agradeço a atenção. ” J.G. Porto Alegre/RS

MENSAGEM: “Bom dia! Ontem foi ao ar o segundo capítulo da novela A Regra do Jogo (Rede Globo). Nela, a atriz Barbara Paz interpreta uma mulher com diagnóstico de bipolaridade “com traços psicóticos” (segundo a fala do ator que interpreta seu psiquiatra). No entanto, na novela a personagem é retratada como alguém com dupla personalidade, o que sabemos, não é características do portador de TAB, pois sofremos com alterações de humor, não de personalidade. Há algo que a Abrata possa fazer a respeito? ”  A.B. Santa Maria/RS

MENSAGEM: “ Bom dia, como portadora de TAB venho informar minha indignação com o personagem de Bárbara Paz na novela da Globo Regra do Jogo. Não somos como o personagem está mostrando. Só temos instabilidade no humor, não o que está parecendo na novela. Gostaria que vocês pudessem nos ajudar entrando em contato com a Globo, pedindo uma mudança no comportamento da personagem. Acho que está muito exagerado. Obrigada”. A.A. Conchas/SP

Informações cientificamente embasadas sobre o transtorno bipolar estão disponíveis em nosso site: www.abrata.org.br

Neila Maria M. Campos                                      Dra. Rosilda Antonio

Diretora Presidente                                             Presidente Conselho Científico

São Paulo, setembro 2015

« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Campanha “Pode Contar”

A campanha "Pode Contar", é uma iniciativa do Laboratório Sanofi-Medley, com o apoio da ABRATA, que visa ajudar, com empatia, pessoas que lhe sejam próximas e colaborando para o enfrentamento da depressão. É também um canal de ajuda para quem apresenta depressão, fornecendo informações sobre os sintomas, causas, como lidar, e acima de tudo: como fazer para pedir ajuda e não se "sentir sozinho".

Campanha “Depressão Bipolar, está na hora de falar sobre isso”

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

6 Comentários

  1. Fernanda Galvão 23 de setembro de 2015 às 22:32 - Responder

    Meu depoimento a cerca desse fato

    Ao longo de muitos anos sofri com essa doença (transtorno do humor)
    Só em 2014 resolvi me tratar, já faz um ano e meio.
    Estranhei aquele comportamento na novela o jogo da vida da personagem Nelita.
    Parece mais uma louca do que alguém que tem o transtorno, dessa forma provocando nos telespectadores certo preconceito para com pessoas que realmente seja portador do transtorno de humor.
    Eu tenho filhos e os amo muito
    Fiz duas faculdades
    Atualmente voltei a trabalhar em minha loja
    Tenho amigos
    Divirto-me quando é possível
    Vivo uma vida normal.
    Tenho claro algumas restrições
    Não bebo, não posso de deixar de tomar a medicação, não posso deixar de ir ao psiquiatra.
    No mais tenho uma vida normal.
    Se por acaso eu tenho alguma crise, pois isso acontece.
    A minha medica aumenta a medicação para estabilizar.
    Infelizmente estereotipam as pessoas da forma mais negativa que podem
    Isso é um desserviço.
    E para finalizar posso dizer a todos que estou em um momento muito especial, em paz comigo.
    Feliz e estabilizada.

    • Equipe Abrata 24 de setembro de 2015 às 12:02 - Responder

      Prezada Fernanda
      Agradecemos o seu comentário.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  2. deize pacheco 23 de setembro de 2015 às 23:14 - Responder

    CARO SR. JOAO EMANUEL CARNEIRO,
    PODERIA ESCLARECER AO PUBLICO ONDE E COM QUEM FOI FEITO O LABORATORIO DE BARBARA PAZ ?
    ELA VISITOU, FREQUENTOU CASAS DE REPOUSO, POSTOS DE SAUDE, CENTROS DE REFERENCIA EM SAUDE MENTAL?
    ELA DEU UMA ENTREVISTA NA TV DIZENDO QUE O LABORATORIO DELA FOI COM A PSICANALISTA DELA…PELO AMOR DE DEUS !!!!
    FABIO GAGLIASSO FEZ UM EXCELENTE LABORATORIO PARA VIVER AQUELE PSICOPATA MAS A AUTORA DA MINI SERIE E’ UMA DAS POUCAS COMPROMETIDAS COM A VERDADE.
    SOU BIPOLAR HA QUASE 12 ANOS , ME TRATEI ATE NOS EUA, JA DEI ENTREVISTA PRO JH ATRAVES DA CLINICA JORGE JABER, FALANDO SOBRE ESTE DRAMA..HOJE SOU UMA PESQUISADORA E DIGO COM TODAS AS LETRAS….ESSA NOVELA E’ UMA VERGONHA…UTILIDADE PUBLICA ZERO ! ZERO! ZERO !

    • Equipe Abrata 24 de setembro de 2015 às 12:04 - Responder

      Prezada Deize
      Agradecemos o seu comentário.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  3. Leon Siqueira Matter 24 de setembro de 2015 às 15:04 - Responder

    A personagem está interpretando uma alcoolatra que depois que bebe mostra outra personalidade como muitas pessoas que fazem uso de alccol, sou bipolar e sei o que sofro com esse transtorno, minha vida virou 360 graus mas faço tratamento psiquiátrico a seis anos e conheço as circunstâncias que desencadeiam minha mudança de humor, e quando posso evito certos ambientes e situações, pois esse transtorno compromete toda relação familiar , de trabalho e afetivo, sei o que me acontece , quero evitar e não controlo totalmente mas não uso bebida , não fumo, e uso apenas os remédios indicados pelo meu psiquiatra, e a família da personagem não está sabendo lidar com a questão, tão séria, como ela convive em uma casa com uma filha que tem um comportamento hostil que prejudica mais o quadro, tudo mal colocado, precisando de uma pesquisa mais apurada, já sofremos tanto preconceito, não precisamos ser expostos da forma ridícula que está sendo abordada esta questão. Ridícula, e ainda colocam um pilantra para se relacionar com ela? Gente que absurdo, a globo deveria mostrar um personagem que servisse de gancho para buscar informação e que gostasse dela para ajudá-la e não ferrar mais. Cadê o papel social que as novelas se prestam? O público que vê essa abordagem , vai nos taxar como loucos de pedra. Pelo amor de Deus mudem essa abordagem logo , antes que apanhemos nos poucos eventos que conseguimos frequentar, esse transtorno , as vezes , nunca vem sozinho. Façam alguma coisa.

    • Equipe Abrata 25 de setembro de 2015 às 21:49 - Responder

      Prezado Leon

      Entendemos toda a sua indignação!
      A ABRATA publicou em seu site uma nota de esclarecimento sobre o personagem da novela, tendo em vista as inúmeras manifestações que recebemos dos nosso leitores, voluntários e participantes de nossas atividades. Leia a nota de esclarecimento na homepage, em Notícias. http://www.abrata.org.br/new/
      Grande abraço
      Equipe ABRATA

Deixe o seu comentário Cancelar resposta