A ABRATA está em novo endereço

Prezados Amigos!

Temos a satisfação de informar-lhes que a partir do dia 08 de maio de 2017, segunda-feira estamos em nosso novo endereço.

Rua Dr Diogo de Faria 102, Vila Clementino
Tel. (11) 3256-4831 / 11 3256-4698 de 2ª a 6ª feira das, 13h30 às 17h
São Paulo | SP

Os atendimentos oferecidos a população serão mantidos nos mesmos horários e dias da semana.
Aguardamos vocês em nossa nova casa!



Help your bipolar disorder patients remain employed

Current Psychiatry
Vol. 8, No. 9 / September 2009
Charles L. Bowden, MD
Clinical professor of psychiatry and pharmacology, Nancy U. Karren Distinguished Chair of Psychiatry, The University of Texas Health Science Center at San Antonio



Este artigo que foi reeditado em dezembro de 2011 (AlamTec), aborda um tema importante e muitas vezes negligenciado pelos médicos que é incorporar questões relacionadas ao trabalho na consultas juntamente com a abordagem dos sintomas e a medicação.
O curso prolongado do transtorno bipolar representa um desafio terapêutico quando os pacientes desejam continuar empregados, com licenças temporárias ou permanentes ou mesmo tentam retornar ao emprego após um período de incapacidade para o trabalho.

HELP YOUR BIPOLAR DISORDER PATIENTS REMAIN EMPLOYED

O trabalho definido como que fazemos para ganhar a vida, é útil para a maioria dos indivíduos. Para pessoas com transtorno bipolar, o trabalho traz benefícios adicionais. O trabalho ajuda a estruturar suas atividades diárias, que tendem a se desorganizar por problemas associados ao ritmo circadiano do sono inadequado. As rotinas de trabalho podem diminuir a distração e a realização de várias tarefas não produtivas, comuns em alguns pacientes com transtorno Bipolar. Seus benefícios podem servir como um importante incentivo para que os pacientes persistam em seus esforços para conseguir um emprego, mesmo frente aos obstáculos.

Em geral os obstáculos para conseguir um emprego:

• Desempenho da função: Quase metade das pessoas com este diagnóstico compromete a função social e familiar
• Função Cognitiva: Existem comprometimentos sutis prolongados particularmente em relação à memória de trabalho.
• Humor instável: Alguns sintomas associados aos estados de depressão, hipomania ou mania ou estados mistos que podem interferir nas responsabilidades profissionais.
• Padrão do ritmo circadiano: As alterações de sono com uma menor necessidade, ou a tendência de aumentar sua atividade e interesses durante a noite pode mantê-los acordados até as primeiras horas do sono podem interferir nas atividades profissionais.
• Efeitos adversos do tratamento: Para pacientes empregados devemos evitar doses de medicação que possam comprometer a concentração, a prontidão ou a velocidade e precisão motoras.

Energia hipomaníaca no trabalho: Construtiva ou destrutiva?

Sob alguns aspectos, o transtorno bipolar confere vantagens sociais e ocupacionais. As características comportamentais comuns e frequentemente adaptáveis da hipomania incluem:

• Perseverança
• Muita energia
• Exuberância e bom humor
• Sensibilidade perceptiva exagerada
• Otimismo

Muita energia e graus leves de hiperatividade, com ideias que seguem linhas criativas e multissistemicas podem beneficiar a produtividade no trabalho, as interações com os clientes e as relações com o grupo de trabalho. Confiança e interesses sociais exacerbados podem ser valiosos em algumas atividades de vendas e marketing.

Porém os pacientes devem conhecer seus limites e potencial destrutivo, pois, muitas vezes eles não têm consciência de algumas consequências adversas de características como irritabilidade ou comportamento de risco.

Um ponto clínico importante é que colegas de trabalho podem incentivar e tirar vantagem da energia hipomaníaca de um individuo frustrando intervenções eficazes.

Superando a fixação do paciente em sua personalidade profissional idealizada

Uma barreira de emprego para alguns pacientes bipolares é que um período curto e muitas vezes antigo de desempenho intelectual ou profissional superior serve com referencia para suas habilidades. Assim, resistem a reavaliar seu autoconceito, levando a frustração ou acham que é uma reação injusta da sociedade ao transtorno bipolar. Este pensamento tende a impedir seu engajamento social ou vocacional realista a níveis que atualmente seriam viáveis a eles.
A rsistência à mudança associada a essa característica frequentemente é difícil de ser controlada com simples consultas médicas e somente com uso de medicação. Intervenções psicossociais específicas podem ser mais eficazes.

Conclusão

Uma vez que as características fundamentais do transtorno bipolar afetam o desempenho no trabalho, estas questões constituem um componente no tratamento da maioria dos pacientes. Integre esses aspectos do tratamento a outras considerações sintomáticas, farmacológicas e de planejamento das atividades diárias. As atividades profissionais pode, por sua vez, ser benéficas no controle saudável das rotinas diárias. Quando necessário, utilize intervenções psicossociais para ajudar pacientes a revisarem seu conceito sobre sua capacidade de trabalho.  




AJUDE SEUS PACIENTES A PERMANECEREM EMPREGADOS
Charles L. Bowden, MD

DESCOBRI QUE MEU COMPANHEIRO(A) É BIPOLAR... E AGORA?
Dr Teng Chei Tung

TRANSTORNOS DO HUMOR E CRIATIVIDADE

Marcia Britto de Macedo Soares

TRATAMENTOS PSICOSSOCIAIS PARA O TRANSTORNO BIPOLAR
Dra Rosilda Antonio

ALIMENTOS PARA O CÉREBRO: O QUE DEVEMOS COMER PARA MELHORAR OS TRANSTORNOS DO HUMOR
Dr Teng Chi Tung
Médico psiquiatra, membro do Conselho Científico


TRANSTORNO BIPOLAR, DOENÇA MENTAL GRAVE, OCORRE MAIS NO ADULTO JOVEM
Dr Teng Chi Tung
Médico psiquiatra, membro do Conselho Científico


HELP YOUR BIPOLAR DISORDER PATIENTS REMAIN EMPLOYED


TRANSTORNO BIPOLAR DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA
Dra. Sônia Maria M. Palma
Médica Psiquiatra


USO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS EM PESSOAS COM TRANSTORNOS DO HUMOR
Luís Pereira Justo
Psiquiatra - Mestre pela EPM/UNIFESP


DEPRESSÃO NA PRÁTICA MÉDICA NÃO PSIQUIÁTRICA
Amanda Galvão de Almeida
Psiquiatra


O IMPACTO DA DEPRESSÃO
Dra. Márcia Britto de Macedo Soares
Psiquiatra


QUALIDADE DE VIDA
Ângela Miranda Scippa. PhD.
Psiquiatra


ATIVIDADE FÍSICA E EXERCÍCIOS NA INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA COMPLEMENTAR DA DEPRESSÃO
Rosa Maria Mesquita
Mestre em Educação Física


ENTREVISTA COM DR HOMERO P. VALLADA FILHO
Dr Homero P. Vallada Filho
Psiquiatra


DISTIMIA – UMA FORMA DA DEPRESSÃO
Belquiz Avrichir
Psiquiatra


AUTO-AJUDA PELA CONVIVÊNCIA
Adriano Persone Prestes de Camargo
Psicólogo


O PAPEL DA ELETROCONVULSOTERAPIA - ECT - NO TRATAMENTO DOS TRANSTORNO
Márcia Britto de Macedo Soares
Psiquiatra


DOENÇA DEPRESSIVA E ESTIGMA
Dra. Denise Gama e Dra. Giuliana Cividanes
Psiquiatra


ANOREXIA E BULIMIA
Dr. André Broking Negrão e Christina Marcondes Morgan
Psiquiatra / Psicóloga


ESPECIAL - PRESTON GARRISON
Preston J. Garrison
Secretário Geral


PSICOTERAPIA COGNITIVA NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO E DO TRANSTORNO BIPOLAR
Dr. Francisco Lotufo Neto
Professor


GRUPOS PSICOEDUCACIONAIS PARA FAMILIARES
Juliana Yacubian
Professora Doutora em psiquiatria


A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES
Maly Delitti
Psicóloga


MENOPAUSA, DEPRESSÃO, E TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL
Dr. Rodrigo da Silva Dias
Psiquiatra


RISCO DO USO DE PSICOFÁRMICOS EM ACIDENTES DE TRÂNSITO
Doris Hupfeld Moreno
Psiquiatra










quem somos | o que é depressão e transtorno bipolar | artigos | agenda | seja um voluntário | doação | contato

Rua Dr Diogo de Faria 102, Vila Clementino, SP - Tel: (11) 3256-4831 / 11 3256-4698 de 2ª a 6ª feira das, 13h30 às 17h

Copyright © 2012 - Abrata - Todos os Direitos Reservados