Especial – Preston Garrison

Preston J. Garrison participa da Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health-WFMH) como Secretário Geral e CEO (Chief Executive Officer) desde outubro de 2002. Trabalhou como executivo em ONGs de Saúde Mental e Serviços Sociais nos EUA por mais de 30 anos.

Entrevista realizada por Adriano Camargo.

O Senhor pode nos contar um pouco da história da World Federation for Mental Health- WFMH (Federação Mundial de Saúde Mental)?

A WFMH foi fundada em 1948 durante uma conferência em Londres. Nasceu de uma crença pós 2ª Guerra Mundial, de que uma sociedade que tivesse boa saúde mental, estaria mais propensa a promover a paz mundial, e também de um crescente interesse pela troca de informação internacional e esforço cooperativo.

Temos mantido uma abordagem multidisciplinar para os associados, englobando as ciências sociais, portadores e ativistas, e profissões médicas.

Qual é a missão da WFMH?

Promover entre todas as pessoas e nações, o mais elevado nível de saúde mental nos mais amplos aspectos biológicos, médicos, educacionais e sociais.

Quais são os objetivos para 2003/2004 e como podem ser atingidos?

Entre nossos objetivos está a conscientização do público sobre a importância da saúde mental, para modificar as atitudes em relação aos transtornos mentais; Promover a saúde mental e otimizar seu funcionamento; Prevenir transtornos mentais, neurológicos e psicológicos; Melhorar os cuidados e o tratamento daqueles que tem transtornos mentais, neurológicos e psicológicos.

Alguns dos esforços que esperamos poder empreender, incluem o fortalecimento do quadro de associados em cada uma de nossas 9 regiões geográficas, tornando ainda mais ativa e efetiva a influência sobre prioridades internacionais de saúde mental através das Nações Unidas e Organização Mundial de Saúde, e comprometer-se com várias iniciativas especiais – como o reconhecimento da depressão forte, programa de conscientização e educação na América do Sul.

A WFMH irá colaborar com o Departamento de Saúde Mental e Dependência de Drogas da Organização Mundial de Saúde em projetos relacionados com a promoção da saúde mental e dos direitos humanos de pessoas portadoras de transtornos mentais. Iremos também continuar a patrocinar e expandir o Dia Mundial da Saúde Mental – projeto educacional global sobre saúde mental. Atualmente se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental em mais de 100 países, no dia 10 de outubro, através de centenas de programas e campanhas de conscientização locais, provinciais e nacionais. Estaremos também colaborando com muitas outras organizações para planejar e apresentar a Terceira Conferência Mundial sobre Promoção da Saúde Mental e Prevenção de Transtornos Emocionais e Comportamentais.

Como a WFMH está organizada pelo mundo?

A WFMH é uma organização formada por três tipos de membros: Organizações de membros votantes que devem ser de âmbito nacional ou internacional com o escopo de atividades relacionadas à saúde mental, por exemplo associações nacionais de saúde mental; associações de psicologia ou psiquiatria e de familiares e portadores. Organizações de membros afiliados podem associações de âmbito local ou até clínicas de saúde mental comunitárias, ou ainda, qualquer grupo voltado para as questões de saúde mental de uma comunidade e membros individuais, qualquer pessoa que queira contribuir individualmente.

Atualmente a WFMH possui mais de 1500 associados entre indivíduos, afiliadas, todos com direito a voto. Muitas destas organizações representam várias centenas de constituintes da WFMH. Aproximadamente 3.000 organizações e grupos utilizam o material do programa educacional global do Dia Mundial de Saúde Mental anual da WFMH e ajudam a promover este trabalho em todo o mundo. Um grande objetivo da WFMH nos próximos 2 anos é expandir muito sua base de associados e eleitores e cultivar maior participação de organizações locais e nacionais voltadas para portadores e familiares. Quais são as perspectivas da WFMH para saúde mental em países em desenvolvimento, e quais são as ações para alcançá-las?

A WFMH demonstra um grande interesse em promover a melhora dos serviços e das políticas de saúde mental em países em desenvolvimento. Reconhece que muitas organizações destes países não possuem recursos necessários para se manterem ativamente comprometidos com a WFMH, e portanto tem reduzido o valor cobrado destes associados.

A WFMH trabalha lado a lado com o Comitê de Saúde Mental das Nações Unidas e com a OMS para chamar atenção para as necessidades de saúde mental de cidadãos de nações em desenvolvimento. Por meio do apoio da Eli Lilly Company, a WFMH pôde oferecer bolsas para participação no Congresso Mundial de Saúde Mental, ocorrido em Melbourne, Austrália, fev/2003. Estamos constantemente buscando oportunidades para patrocinar e implementar iniciativas voltadas para as necessidades da saúde mental destes países.

A WFMH concorda plenamente com a declaração da OMS de que as necessidades não atingidas de crianças, adolescentes e adultos que experimentam transtornos mentais, emocionais e comportamentais, estão se tornando rapidamente uma crise mundial de saúde. Apoiamos os esforços da OMS em chamar a atenção de governos e políticos para tais fatos, através do Programa de Ação Global para a Saúde Mental e continuaremos a procurar oportunidades para sermos defensores efetivos de uma melhor política nacional em prol da saúde mental através do mundo.

« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Campanha “Pode Contar”

A campanha "Pode Contar", é uma iniciativa do Laboratório Sanofi-Medley, com o apoio da ABRATA, que visa ajudar, com empatia, pessoas que lhe sejam próximas e colaborando para o enfrentamento da depressão. É também um canal de ajuda para quem apresenta depressão, fornecendo informações sobre os sintomas, causas, como lidar, e acima de tudo: como fazer para pedir ajuda e não se "sentir sozinho".

Campanha “Depressão Bipolar, está na hora de falar sobre isso”

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.