Em Brasília – APTA – Núcleo de Ajuda às Pessoas com Transtorno Afetivos

Em Brasília/DF, as pessoas com transtorno do humor, familiares e amigos, poderão procurar o APTA – Núcleo de Mútua Ajuda às Pessoas com Transtornos Afetivos .
O APTA tem como missão oferecer o “mútuo apoio solidário entre as pessoas com transtorno afetivos (transtornos depressivos ou bipolares), seus familiares, profissionais da área de saúde e cidadãos interessados, com a finalidade de promover a saúde mental.”

Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.

Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 104

Contato: Tel: (61) 3107-1978  e-mail: apta.apta@gmail.com

« Voltar

Destaques

Seja um Voluntário ABRATA

A ABRATA seleciona candidatos para o trabalho voluntário que estão disponíveis para doar seu talento, tempo e trabalho para a prestação do serviço voluntário ao próximo. Não há necessidade de experiência em lidar com os familiares e as pessoas com transtorno bipolar e depressão, basta apenas ter a vontade e o desejo de ajudar.

Comunicado da Diretoria

De acordo com as orientações do Ministério da Saúde e do Governo do Estado de São Paulo, a ABRATA continua com as atividades presenciais SUSPENSAS por TEMPO INDETERMINADO.

Campanha “Pode Contar”

A campanha "Pode Contar", é uma iniciativa do Laboratório Sanofi-Medley, com o apoio da ABRATA, que visa ajudar, com empatia, pessoas que lhe sejam próximas e colaborando para o enfrentamento da depressão. É também um canal de ajuda para quem apresenta depressão, fornecendo informações sobre os sintomas, causas, como lidar, e acima de tudo: como fazer para pedir ajuda e não se "sentir sozinho".

Campanha “Depressão Bipolar, está na hora de falar sobre isso”

Depressão bipolar: está na hora de falar sobre isso” é a mais nova campanha da Daiichi Sankyo, que tem o apoio da ABRATA - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos. O objetivo é conscientizar a população em geral sobre a importância da depressão bipolar, doença que atinge mais de seis milhões de brasileiros e depende de melhor diagnóstico e tratamento adequado.

2018-02-02T17:41:47+00:00 18 de junho de 2012|Categorias: Blog, Sem categoria|Tags: |42 Comentários

42 Comentários

  1. silvia leandro 25 de julho de 2012 às 17:23 - Responder

    Olá,sou bipolar diagnosticada há aproximadamente uns 10 anos,apesar de sofrer muito com o problema,e de ter passado pelos piores momentos de minha vida sem o apoio de ninguém a família e amigos,hoje posso dizer que mesmo com o problema sou uma pessoa melhor em todos os aspectos,emocionais,psicológicos,emocionais.
    Tenho que matar 2 leões por dia para estar sempre superando os sobes e desces e mudanças de humor repentinas,aproveitando para viver cada dia,cada momento da minha vida como se fossem os últimos,pq nunca sei como estarei daqui a 5 minutos.
    Isso faz de mim melhor e de certa forma mais feliz,pq me obriga a viver mesmo c todas as dificuldades.Minha vida mudou depois do diagnóstico p melhor.

  2. alcineide dias da silva 27 de novembro de 2012 às 11:24 - Responder

    há pouco tem descobri que tenho transtorno afetivo bipolar.Fiquei triste com a noticia em saber que não tem cura, mas tem tratamento, pois achava que estava apenas depressiva como nas outras vezes. Estou me cuidando, mas gostaria de entrar em contato com vocês e ficar trocando idéias e opiniões; Tenho 40 anos anos, sou casda e tenho duas filhas lindas: uma de 15 anos e outra de 4 anos que ainda não fala. Meu marido tem me dado uma força tremenda e às vezes nem espereva tanto. Sou grossa às vezes com ele, mas é o porque me controla demais.

    • Equipe Abrata 27 de novembro de 2012 às 17:25 - Responder

      Prezada Alcineide
      Bem vinda à Abrata!
      A maior dificuldade para o tratamento e melhora das pessoas com Transtorno do Humor é a aceitação da necessidade do tratamento e a continuidade da medicação. É uma jornada longa, também para familiares e amigos, porém, com o medicamento e doses adequados você terá e tem todas as chances de manter a estabilidade e ter um vida digna no meio social, familiar e profissional.
      A família também é atingida como um todo quando um de seus membros apresenta depressão. Não é raro que apareçam dificuldades no relacionamento conjugal e familiar. Procure sempre manter o diálogo com o marido, fale com ele sobre as suas sensações, sofrimentos, sobre o que lhe aflige. Emfim, converse acerca dos seus pensamentos negativos, o pessimismo e a falta de esperança que às vezes surge e que fazem parte do conjunto dos sintomas da depressão. Converse, principalmente, de como você gostaria que ele lhe ajudasse e que está se sentindo muito controlada.
      A família, no grande desejo de confortar e levar um bem estar ao seu ente tão amado e querido, as vezes extrapola na medida dos cuidados. Essa situação não acontece somente com você. Converse sobre isso, fale desse sentimento.
      A ABRATA tem como missão prestar esclarecimentos, informações, oferecer apoio e suporte aos familiares e portadores de Transtornos do Humor, depressão e bipolaridade. Estamos, sempre aqui para atendê-la. Conte conosco!
      Carinhoso abraço!
      Equipe Abrata.

  3. Luana Ariel Feitosa Bernabé 15 de fevereiro de 2013 às 19:38 - Responder

    Olá, meu nome é Luana Ariel, tenho apenas 16 anos. A quase dois anos me sinto outra pessoa, mudei completamente, vivo estressada, e desconto em todos a minha volta, principalmente na minha família. E quando me perguntam porque estou me comportando assim, eu simplesmente não sei o que responder, é como se não existisse motivo. Minha mãe diz sempre a mesma coisa ” São os hormônios minha filha” como se isso fosse apenas uma fase. Bom, eu espero que seja só uma fase, mais infelizmente não é! As vezes eu desejo morrer, me sinto cada vez mais sufocada, eufórica, não consigo me concentrar em nada, tudo tira minha atenção! E o pior de tudo é que eu não tenho controle sobre esses sentimentos, eu tento de tudo mais não consigo me controlar… Não sei mais o que fazer, estou decepcionando todos ao meu redor.

    • Equipe Abrata 18 de fevereiro de 2013 às 18:10 - Responder

      Prezada Luana
      Obrigada por entrar em contato com a ABRATA!
      Em muitos casos, nosso jeito de ser e a forma de nos comportar podem dificultar as relações com nossos familiares, com amigos e com a gente mesmo. As vezes, provocando perdas nos relacionamentos e no curso cotidiano da vida, e se torna um problema difícil de ser solucionado sozinho. Nesse momento, precisamos buscar as informações, abrir espaços para os diálogos em busca de melhorias para a nossa própria vida. É o que vc está fazendo Luana, ao entrar em contato conosco, a ABRATA. Luana você já deu um grande passo, percebendo que necessita de apoio, o que é muito bom! Sugerimos a você que procure alguns apoios, dentre eles agendar uma consulta com um psiquiatra e também buscar o apoio de um psicoterapeuta, ambos poderão lhe oferecer um bom caminho para a melhoria e manutenção da sua qualidade de vida.
      Atenção: Luana você tem 16 anos e independente da idade, todos nós, necessitamos da ajuda e acompanhamento familiar. Converse com a sua mãe, explique a ela quanto vc sofre em ve-la chateada, peça ajuda a ela para levá-la ao médico e ao psicoterapeuta. Compartilhe o seu desejo de melhorar, de buscar mais informações sobre os seus comportamentos e a sua esperança de viver um momento futuro mais promissor para você mesma e para a sua família.
      Aproveitamos a oportunidade, caso resida em SP, e lhe convidamos para participar dos GAM, Grupos de Ajuda Mútua e dos Encontros Psicoeducacionais, assim você se informará melhor.
      Abraços Carinhosos!
      Equipe Abrata

      • Luana Ariel Feitosa Bernabé 20 de fevereiro de 2013 às 17:08 - Responder

        Pensei muito no que você disse, sobre conversar com a minha mãe, é isso que eu vou fazer 🙂 quem sabe ela me entenda. E sim, vou procurar um psiquiatra o quanto antes!

        Muito obrigada pela atenção de vocês,
        até mais!

        • Equipe Abrata 20 de fevereiro de 2013 às 17:18 - Responder

          Querida Luana
          Obrigada pelo seu retorno!
          Estamos sempre por aqui. Quando desejar e precisar entre em contato conosco.
          Carinhoso Abraço.
          Equipe Abrata.

  4. Henrique 1 de abril de 2013 às 03:00 - Responder

    Ainda estão acontecendo estes encontros?

    • Equipe Abrata 1 de abril de 2013 às 14:11 - Responder

      Caro Henrique
      Boa tarde! Obrigada por contatar a Abrata.

      Supomos que a sua pergunta se refere ao APTA em Brasília.
      Sim, os encontros do APTA continuam acontecendo aos sábados, das 15h às 16h30, na Universidade de Brasília, na Faculdade de Medicina, sala AC 104.
      Em caso de mais informações entre em contato pelo telefone: (61) 3107-1978 ou e-mail: apta.apta@gmail.com
      Caso não seja essa a informação que você deseja, por favor, entre em contato novamente.
      Abraços.
      Equipe Abrata.

  5. Andrea 1 de abril de 2013 às 10:08 - Responder

    Gostaria da ajuda do grupo para um diagnóstico do meu caso, já fui a psicólogos que passam um remédio para depressão com retorno todo mês . Isso não tem resolvido.
    Tenho variações de humor, estou acabando com minha família, não tenho mais amigas, engordando muito, muitas dúvidas, vida imaginária, mentiras, inveja, etc…Mesmo sabendo disso tudo não faço nada ou começo e não termino.
    Vocês podem me ajudar? Obrigada.

    • Equipe Abrata 1 de abril de 2013 às 14:54 - Responder

      Andrea
      Boa tarde! Benvinda a Abrata!

      Andrea, inicialmente, gostaríamos de esclarecer que a Abrata não atua com atendimentos médicos. A Associação, dentre várias atividades, realiza atendimentos por meio de Grupos de Apoio Mútuo para a pessoa com transtorno de humor, depressão e bipolaridade, e também para seus familiares e amigos.

      É importante ressaltar que o diagnóstico do transtorno do humor é realizado pelo psiquiatra.

      Recomendamos para você um primeiro passo: agendar uma consulta com este profissional da área de saúde, o psiquiatra, o mais breve possível! Assim, vc mesma estará lhe ajudando e cuidando de você com responsabilidade e bem querer.

      Andrea você escreve que os remédios de depressão não tem resolvido e ainda cita sobre as variações de humor, as dificuldades de relações interpessoais, essas descrições parecem sugerir a possibilidade de algum transtorno.

      Mas veja, somente o médico psiquiatra poderá esclarecer ou definir o seu diagnóstico. Portanto, procure um psiquiatra. Peça ajuda a uma pessoa da sua família que você confia ou que você se sinta mais segura ao lado dela para lhe acompanhar durante a consulta.

      E quanto mais cedo você se cuidar, melhor resposta terá ao tratamento. Com o tratamento adequado e o humor mais estável surgirá a oportunidade de você ter uma boa qualidade de vida pessoal e familiar.
      Caso vc resida em SP lhe convidamos para conhecer a ABRATA e participar das atividade oferecidas em nossa sede.
      Abraço fraterno.
      Equipe Abrata.

  6. Andrea 1 de abril de 2013 às 17:01 - Responder

    Mas vcs podem indicar um medico desta especialidade em Brasília? Os que fui não gostei.
    Obg
    Andrea

    • Neila 1 de abril de 2013 às 18:21 - Responder

      Oi Andrea

      Li a sua mensagem e em Brasília eu gostaria de lhe indicar a médica do meu filho que é a Dra Maria das Graças Oliveira. Ela é especialista em transtorno do humor. Telefone do consultório é 3322.8184.
      Uma boa opção também é frequentar as reuniões do APTA. Durante os encontros a gente conhece pessoas com bipolaridade e seus familiares. Conversamos sobre a doença, ficamos sabendo também sobre os tratamentos, os médicos e psicólogos disponíveis na cidade, além das novidades sobre os tratamentos.
      Bjs

  7. carolline 2 de abril de 2013 às 00:36 - Responder

    Olá,tenho 18 anos e fui diagnosticada com depressão aos 16.Esse ano minha depressão tá mais grave do que nunca.Tomo remédio controlado,mas ando angustiada e querendo me matar do mesmo jeito.Sem perspectiva,se o gênio da lâmpada aparecer pra mim não sei o que pedir,mesmo que eu tenha tudo na vida simplesmente parece que a minha vida não tem sentido,tá sendo um fardo viver.Estou perdendo amizades assim como a Andrea acima,não consigo fazer atividade física,queria injetar algo na veia e dormir eternamente…

    • Equipe Abrata 2 de abril de 2013 às 16:04 - Responder

      Cara Caroline
      Boa Tarde! Obrigada pelo contato com a ABRATA.

      Não é mesmo fácil suportar a depressão. O sofrimento é intenso e a pessoa não vê luz no fim do túnel. Só que isso não significa que não há essa luz, apenas que você ainda não consegue enxergá-la.

      Temos enfatizado aqui no blog que a melhora dos sintomas pode demorar alguns meses até o tratamento mostrar sua plena eficácia, também pode ser necessário ajustar doses ou mesmo trocar os medicamentos até que a pessoa se estabilize. Além disso, a pessoa precisa mudar hábitos de vida que podem estar prejudicando a saúde e isso também leva tempo.

      O mais importante disso tudo é que você fale com o profissional que está cuidando de você (ou profissionais), como o seu médico, a psicóloga e informe tudo o que está sentindo – isso vai orientá-la a tomar as decisões necessárias para conduzi-la à remissão da depressão. Além disso, é fundamental que você conheça como a depressão e os transtornos do humor funcionam. É importante que você saiba também o que outras pessoas que vivem ou viveram o mesmo problema que você está passando, o que elas fizeram para superá-lo. Isto é, buscar dicas com pessoas que passam ou passaram pelo mesmo que a gente está passando pode ser algo muito precioso.
      Além de participar das discussões aqui no blog da ABRATA, lhe convidamos também para participar das nossas atividades presenciais, como os grupos de ajuda mútua, das palestras psicoeducacionais e grupos de interatividade.

      Saiba que a tendência ao isolamento é um sintoma da depressão e deve ser superada – venha participar de grupos que isso já é parte do tratamento e vai ajudá-la a se recuperar mais rápido e a aprender a controlar seus estados de humor.
      Abraço,
      Equipe da ABRATA

  8. NARA DORNELLES GRAÇA 18 de setembro de 2013 às 13:27 - Responder

    Senhores,

    Gostaria de saber horário e local das terapias e como fazer para participar.

    Agradeço.

    Nara

    • Equipe Abrata 19 de setembro de 2013 às 15:36 - Responder

      Prezada Nara
      Obrigada pelo seu contato com a ABRATA!

      A sede da ABRATA em SP: Rua Borges Lagoa, 74, conj 02, Vila Clementino, próximo ao Metrô Santa Cruz. As reuniões do Grupo de Apoio Mútuo para familiares e portadores acontecem todas as terças-feiras (19h30 às 21h) e na quinta-feira (18h30 às 20h). Preferencialmente, solicitamos fazer inscrição pelo telefone: (11) 3256-4831 – das 13h às 17hs.

      Primeiro será necessário participar do GRUPO DE ACOLHIMENTO que são as reuniões abertas ao público interessado nas atividades da ABRATA. Durante a reunião, vc receberá informação institucional da Associação e conhecerá a dinâmica de participação dos portadores e dos familiares nos Grupos de Apoio Mútuo, denominados GAMs. No dia 30 de setembro – segunda-feira – 18h30 às 20h, acontecerá uma reunião. Se puder, agende a sua participação!

      Vc encontrará mais informações no site, acerca de todas as atividades oferecidas por nós, em AGENDA. http://www.abrata.org.br.

      Conte sempre conosco!
      Abraço fraterno
      Equipe ABRATA

  9. MIRALDA RIBEIRO CAMPOS 9 de fevereiro de 2015 às 23:40 - Responder

    Gostaria de saber se o grupo já esta funcionando e se no próximo sábado (acho que eh carnaval) vai ter o grupo. Se bem que para o deprimido o carnaval pode piorar sensivelmente os sintomas. Me trata ha mais ou menos 6 meses. Está difícil, tenho 50 anos, minhas emoções são de uma garota de 15. preciso de ajuda.
    Miralda Ribeiro Campos

    • Equipe Abrata 23 de fevereiro de 2015 às 00:16 - Responder

      Prezada Miralda
      No sábado de carnaval não teve grupo de apoio mútuo. retornamos nesta quinta-feira. Vc poderá fazer a sua inscrição para o grupo de apoio que são grupos constituídos por portadores de transtorno do humor e de familiares cuja finalidade é trocar experiências, compartilhar vivências, buscar soluções de forma solidária, dando apoio e conforto uns aos outros. Ligue Tel: (11) 3256-4831 de 2ª a 6ª feira das, 13h30 às17h. Primeiro vc fará a inscrição para o Grupo de Acolhimneto e depois para o Grupo de Apoio Mútuo/GAM.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  10. Pedro 3 de maio de 2015 às 21:05 - Responder

    Olá, esta acontecendo esses encontros ainda e como faz para eu participar? Tenho Transtorno Obsessivo Compulsivo a muito tempo e é difícil de lidar sozinho, sem pessoas que possam entender o que digo.

    • Equipe Abrata 4 de maio de 2015 às 22:33 - Responder

      Caro Pedro

      O APTA continua com os grupos de atendimento em Brasilia. Seguem os contatos.
      O APTA tem como missão oferecer o “mútuo apoio solidário entre as pessoas com transtorno afetivos (transtornos depressivos ou bipolares), seus familiares, profissionais da área de saúde e cidadãos interessados, com a finalidade de promover a saúde mental.”

      Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.
      Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 104
      Contato: Tel: (61) 3107-1978 e-mail: apta.apta@gmail.com
      Abraços
      Equipe ABRATA

      • Pedro 5 de maio de 2015 às 01:05 - Responder

        Ah, obrigado!!!!! Pode me informar se pessoas com TOC podem frequentar ou é só um transtorno especifico?

        • Equipe Abrata 7 de maio de 2015 às 13:35 - Responder

          Pedro
          Os grupos de apoio mútuos são direcionados a pessoa o determinado transtorno. Mas, caso a pessoa tenha TOC e mais o transtorno depressão ou transtorno bipolar, poderá participar do Grupo de apoio. Esta é a orientação da ABRATA e acreditamos que também seja a mesma orientação do APT em Brasília.
          Abraços
          Equipe ABRATA

    • Ana Claudia 9 de setembro de 2015 às 11:54 - Responder

      Pedro vc conseguiu alguma ajuda aqui em Brasília? tenho um sobrinho com TOC também e sente a mesma dificuldade que vc.

      • Equipe Abrata 10 de setembro de 2015 às 10:46 - Responder

        Olá Ana Claudia
        Infelizmente não identificamos grupo de apoio a pessoa com tOC em Brasília. Conhecemos somente o APTA que é o Grupo de apoio a pessoa com depressão e transtorno bipolar.
        Enviamos o contato do APTA. Quem sabe, a equipe do APTA conhece grupos no DF e possa lhe indicar.
        APTA – BRASÍLIA
        O APTA tem como missão oferecer o “mútuo apoio solidário entre as pessoas com transtorno afetivos (transtornos depressivos ou bipolares), seus familiares, profissionais da área de saúde e cidadãos interessados, com a finalidade de promover a saúde mental.”
        Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.
        Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 111
        Contato: Tel: (61) 3107-1978 e-mail: apta.apta@gmail.com

        Abraços
        Equipe ABRATA

  11. Laina Vasconcelos 16 de agosto de 2015 às 11:51 - Responder

    Sugere a participacao nas reunioes para pessoas com bipolaridade? Ha algum grupo de ajuda mutua especifico para transtorno bipolar? Grata

    • Equipe Abrata 18 de agosto de 2015 às 11:05 - Responder

      Ola Laina

      Se vc reside em SP, aproveitamos a oportunidade e lhe convidamos para participar do Grupo de Apoio Mútuo aos familiares e portadores. São grupos separados. Eles acontecem na terça, quinta e sábado. Faça a sua inscrição, primeiro para o Grupo de Acolhimento pelo telefone (11) 3256-4831 de 2ª a 6ª feira das, 13h30 às17h. Rua Borges Lagoa 74, conjunto 02, Vila Clementino, SP, próximo a estação Metrô Santa Cruz.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  12. Daniela 31 de agosto de 2015 às 21:25 - Responder

    Olá, os encontros ainda ocorrem aos sábados na Unb? É só chegar e participar? Ou tem que fazer um cadastro antes?
    Obrigada.

    • Equipe Abrata 2 de setembro de 2015 às 18:49 - Responder

      Prezada Daniela

      Os encontros da APTA continuam acontecendo aos sábado na UNB, Faculdade de Medicina. Seguem os contatos para vc obter mais informações.

      Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.
      Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 104
      Contato: Tel: (61) 3107-1978 e-mail: apta.apta@gmail.com
      Abraços
      Equipe ABRATA

  13. debora 20 de julho de 2016 às 13:59 - Responder

    Ajuda pessoas com transtorno boderlaine?Qual a referência do local do grupo?

    • Equipe Abrata 22 de julho de 2016 às 20:22 - Responder

      Olá Debora

      A ABRATA oferece apoio para as pessoas que apresenta transtorno bipolar e depressão. Estamos na cidade de SP.
      Abraços
      Equipe ABRATA

  14. arlindo moreira de castro 30 de março de 2017 às 19:00 - Responder

    Por favor, diga-me, o grupo de acolhimento continua? Preciso de ajuda e acho que também posso ajudar. Grato.

    • Equipe Abrata 3 de abril de 2017 às 17:33 - Responder

      Olá Arlindo.

      Se você residir na cidade de São Paulo, telefone para (11) 3256-4831, de 2ª a 6ª feira, das 13h30 às 17h, e faça a sua
      inscrição para o Grupo de Acolhimento e Integração.
      Estamos à disposição.

      Um abraço.
      Equipe ABRATA.

  15. LILIENE MARTA DA SILVAA 4 de abril de 2017 às 12:37 - Responder

    GOSTARIA DE SABER SE QUALQUER PESSOA PODE PARTICIPAR DESSA TERAPIA SI E PAGO OU NÃO POR QUE MINHA FILHA ESTA COM ESTE PROBLEMA DE DEPRESSÃO

    • Equipe Abrata 5 de abril de 2017 às 09:59 - Responder

      Prezada Liliene.

      Em Brasília, indicamos o seguinte grupo:
      APTA – BRASÍLIA

      O APTA tem como missão oferecer o “mútuo apoio solidário entre as pessoas com transtorno afetivos (transtornos depressivos ou bipolares), seus familiares, profissionais da área de saúde e cidadãos interessados, com a finalidade de promover a saúde mental.”

      Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.

      Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 111

      Contato: Tel: (61) 3107-1978 e-mail: apta.apta@gmail.com
      http://apta-df.blogspot.com.br/.

      O grupo mencionado acima é gratuito e oferece apoio a pessoas com depressão e transtorno bipolar, bem como a seus familiares e amigos.

      Um abraço.
      Equipe ABRATA.

  16. Shay 24 de abril de 2017 às 02:20 - Responder

    Olá, gostaria de saber se o grupo permanece na UNB aos sábados e se preciso me inscrever para participar. Obrigada

    • Equipe Abrata 26 de abril de 2017 às 11:20 - Responder

      Olá Shay.

      Seguem as informações do APTA – Brasília:
      APTA – BRASÍLIA

      O APTA tem como missão oferecer o “mútuo apoio solidário entre as pessoas com transtorno afetivos (transtornos depressivos ou bipolares), seus familiares, profissionais da área de saúde e cidadãos interessados, com a finalidade de promover a saúde mental.”

      Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.

      Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 111

      Contato: Tel: (61) 3107-1978 e-mail: apta.apta@gmail.com
      http://apta-df.blogspot.com.br/

      Abs.
      Equipe ABRATA.

  17. Cilene 1 de agosto de 2019 às 17:27 - Responder

    B.tarde!!! Há poucos meses fui diagnosticada com transtorno Limítrofe,eu posso participar desse grupo de acolhimento?!
    Agradeço.

    • blogabrata 5 de agosto de 2019 às 08:44 - Responder

      Olá Cilene, agradecemos a sua mensagem.
      Sim, você pode participar da reunião do Grupo de Acolhimento e Integração.
      Telefone para (11) 3256-4831, de 2ª a 6ª, das 13h às 17h.
      Abs.
      EQUIPE ABRATA

      • blogabrata 5 de agosto de 2019 às 08:45 - Responder

        Olá Cilene,
        Você reside em qual cidade?
        EQUIPE ABRATA

  18. Ana Cristina Braz de Oliveira Stabile 23 de novembro de 2019 às 22:17 - Responder

    Tenho um filho de 12 anos , desde os 10 anos, após sofrer bullying em uma escola, desenvolveu comportamento agressivo e com surtos de raiva, com 11 anos foi diagnosticado com síndrome de Borderline, já foi suspenso na escola umas 5 vezes , fui convidada a retirá-lo da escola, ele aprontou com todos da família, agrediu o pai. Esta semana ficou 2 dias fora de casa, descobri que estava no vizinho, mas lá também aprontou e o vizinho veio trazê-lo, porque ele não queria vir , mas de raiva jogou pedra no telhado da casa. Ele faz tratamento há 1 ano, parece que ficou pior . Ele já tem histórico de abandono antes dos 3 anos, eu o adotei junto com sua irmã.
    Normalmente ele me respeitava, mas agora me enfrenta , chega tentar me bater. Não sei mais o que faço, meu esposo está depressivo e já não suporta . Ele alguns dias atrás ele pegou uma faca grande para nos enfrentar. Graças a Deus não aconteceu o pior a crise foi curta. Estou quase vendo uma tragédia. Nos socorre , pela família já tinha colocado ele para fora de casa, mas ele é meu filho, não tenho coragem de fazer isto , ainda mais sabendo do transtorno que ele tem .
    Eu sou de Brasília DF . Vocês podem nos ajudar?

    • blogabrata 26 de novembro de 2019 às 10:28 - Responder

      Olá Ana Cristina, agradecemos o seu contato.
      Você pode procurar ajuda na indicação abaixo:
      Em Brasília/DF, as pessoas com transtorno do humor, familiares e amigos, poderão procurar o APTA – Núcleo de Mútua Ajuda às Pessoas com Transtornos Afetivos .
      O APTA tem como missão oferecer o “mútuo apoio solidário entre as pessoas com transtorno afetivos (transtornos depressivos ou bipolares), seus familiares, profissionais da área de saúde e cidadãos interessados, com a finalidade de promover a saúde mental.”

      Os Grupos de Acolhimento acontecem aos sábados, das 15h às 16h30.

      Local: Universidade de Brasília – UNB – Faculdade de Medicina, Sala AC 104

      Contato: Tel: (61) 3107-1978 e-mail: apta.apta@gmail.com
      Celular: 99866-0077

      Um grande abraço
      EQUIPE ABRATA

Deixe o seu comentário